BR’13 – 16ª rodada: Cruzeiro volta à liderança, Atlético PR passa pelo Botafogo

Tempo de leitura: 2 minutos

atletico-paranaense-botafogo-uma-cerveja-por-favor-futebol-campeonato-brasileiro-2013-brasileirao

Com uma vitória segura sobre a Ponte Preta o Cruzeiro conseguiu voltar à liderança do Campeonato Brasileiro. O destaque da partida vai para Dedé, que havia falhado contra o Flamengo. O zagueiro se redimiu com um gol e uma grande atuação. Para muitos foi o melhor em campo.

É importante ressaltar o estardalhaço que a imprensa fez sobre o erro de Dedé contra o Flamengo. Foram feitas reportagens com músicas dos trapalhões, listas de todos seus erros nos poucos jogos que fez pela equipe e críticas desmedidas.

Um jogador valioso como Dedé vai sofrer muita cobrança, é natural, mas o jeito que a imprensa (principalmente a mineira) agiu nos dias seguintes à falha foi assustador. Penso que o papel desses profissionais seja analisar o todo, e a maioria deles se portou como um torcedor corneteiro que só consegue enxergar os erros dos jogadores. Tirando a falha, a partida de Dedé contra o Flamengo foi excelente, uma de suas melhores com a camisa do Cruzeiro. Ele ainda passa por problemas pessoais e não está junto ao time desde o começo do ano. São situações que pesam.

O próprio jogador foi ao twitter agradecer os torcedores do Cruzeiro que o apoiaram através de mensagens e a hashtag #FechadoComODedé.

Mas a liderança do Cruzeiro não se deu apenas pela boa partida do Dedé. O time mineiro contou com a ajuda do Atlético Paranaense, que venceu com certa facilidade o Botafogo.

Ao que parece, por não ter disputado o Campeonato Paranaense e ter um maior tempo de pré-temporada, o Atlético está mais descansado que seus adversários. O time estava voando contra o Botafogo, que nem viu a cor da bola. Era claramente uma superioridade física.

O time de Vágner Mancini não é dos melhores, não tem jogadores renomados, nem um elenco muito grande. Mas aparenta estar conseguindo aguentar mais o tranco dos jogos quarta/domingo. É o time que mais somou pontos nas últimas rodadas e saltou da zona de rebaixamento para o G4 do Brasileirão.

Talvez seja um exemplo para as outras equipes, para a CBF. Devemos repensar a existência dos estaduais. Os campeonatos são fracos e não acrescentam em nada para as equipes. Só menos tempo de pré-temporada e mais jogos inúteis que enchem o ano de datas e fazem com que o Campeonato Brasileiro seja disputado em poucos meses. Com isso temos o absurdo calendário com jogos de um mesmo campeonato na quarta e no domingo, coisa que quase nenhum outro time do resto do mundo precisa enfrentar.

Bom, na verdade não sei como funcionam os calendários da maioria das ligas do mundo, mas na Europa, nas melhores ligas, o calendário é muito superior. E, como sempre, devemos tentar seguir o que vem dando certo nas melhores ligas do mundo, para tornar o Campeonato Brasileiro mais atrativo. Coisa que, por enquanto, não é.

Não me siga

Michael Renzetti

Não sei nada sobre táticas, sobre jogadores, sobre times - bom, na verdade eu acho que não sei nada sobre futebol. Mas eu gosto de opinar.
Não me siga