Futebol Maldito

Tempo de leitura: 3 minutos

FlamengoxCruzeiro CdB Dedé

Cara, amo futebol. Sim, comecei o texto já contradizendo o título da coluna, mas e daí? Futebol é contradição.

Ele, o futebol, fez com que nove em cada dez cruzeirenses estivessem confiantes na classificação sobre o Flamengo nas oitavas de final da Copa do Brasil.

“Confia” – dizia o futebol – “o time é líder do campeonato brasileiro, cara. Deu um baile no primeiro jogo. Um golzinho besta no final não quer dizer muita coisa”.

O futebol nos dizia que o momento do Cruzeiro é muito melhor, dizia que a equipe de Marcelo Oliveira vinha tendo atuações convincentes, ao contrário do Flamengo de Mano Menezes. Fazia sentido. Na teoria, o Cruzeiro era mesmo o favorito.

Quando o futebol fala com a gente a gente esquece de levar em conta fatores como o Maracanã lotado ou a (também) pesada camisa do Flamengo.

A gente assusta e o time da gente esta sendo dominado durante a maior parte do jogo e engolido no segundo tempo.

De repente, tá lá o segundo tempo e o Cruzeiro abraçando o regulamento enquanto o Flamengo abraça o Maracanã. Se apequenando em campo, enquanto o adversário se agiganta.

Assustei e já estava eu, empurrando o relógio com o pensamento e roendo junto com as unhas aquela confiança acumulada durante a semana.

Entre o apito inicial e os 42 minutos do segundo tempo, no mínimo un dois dias se passaram, e o sentimento de que alguma coisa ia dar errado se concretizou no chute de Elias (que, para ser ainda mais cruel, o futebol chegou a nos dizer que era dúvida antes do jogo).

É isso que o futebol faz com a gente. Primeiro ele te diz: “pode confiar, cara, vai dar tudo certo”. Aí, um pouquinho que você se distrai, tá lá o futebol rindo enquanto aponta o dedo pra você.

Quem te falou que o futebol existia para te deixar feliz? O futebol é um jogo cruel, cara.

Que o diga Everton Ribeiro e seu maravilhoso gol, engavetado para sempre na história dessa eliminação precoce.

Todo campeonato só tem um vencedor. Parece uma constatação besta, mas serve pra gente ver como o futebol é babaca. Esse jogo maldito, que fará 85 perdedores ao final dessa Copa do Brasil aí.

Sim, teremos um vencedor da Copa do Brasil, que esquecerá por um tempo como o futebol é ruim só para ser lembrado depois, em outra oportunidade.

O futebol dá uma trégua, mas nunca te deixa em paz.

Futebol é algo tão maldoso que faz a gente ficar aqui se agarrando a esses momentos de alegria “lembra aquela final da Copa do Brasil de 96, e aquela de 2000? Épico”.

Peguemos o Cruzeiro. Junto com o Grêmio, é o maior vencedor da Copa do Brasil. Para cada uma das quatro vezes que foi campeão, quantas outras eliminações cruéis, tristes, imbecis e traumáticas?

Vejam bem como o Futebol é, gente. Essa coisa malévola que faz a gente achar que ama quando na verdade odeia.

Passaram as oitavas da Copa do Brasil. Estamos fora. E agora? Já vem o futebol de novo, me fazendo acreditar que vai até ter um lado bom encarar o Brasileirão agora com prioridade.

Olha aí o futebol maldito já me lembrando aqui que no domingo tem jogo. Quem sabe a gente não vence e consegue mais uns pontinhos de distância na liderança? Quem sabe o futebol não deixa a gente acabar campeão do Brasileirão?

Opa. Acho que agora vai, hein?

Ah, futebol, seu… Como eu odeio te amar.

Ah, futebol, dá cá um abraço