Ouça o que esses caras estão nos dizendo

Tempo de leitura: 4 minutos

Em 2013 o Cruzeiro completa dez anos na “fila” dos grandes títulos.

Nesses anos de urucubaca celeste, a gente foi perdendo a confiança. Às vezes parecia que ia rolar, mas aí vinha um jogo bobo, um tropeço contra um time pequeno, um juiz errando e a coisa desandava.

Esses malditos dez últimos anos fizeram a gente começar a desconfiar do Cruzeiro. Começamos a esperar sempre que alguma coisa desse errado.

Pense bem: quantas vezes vimos o Cruzeiro ressuscitar aquele time besta lá da zona de rebaixamento do qual todo mundo ganhava? Quantas vezes não falamos de “apagões” celestes? A gente se acostumou a esperar que algo desse errado.

Mas esse ano parece que tem alguma coisa diferente, né? Ok. Tivemos alguns tropeços. Perdemos a classificação na Copa do Brasil pro Flamengo de maneira horrível. Só que, depois disso, parece que esse time quer mandar um recado pra gente, e o recado é: “podem confiar”.

(foto: Elmo Alves)

(foto: Elmo Alves)

Esses caras estão vivendo o Cruzeiro. É um grupo que a gente consegue sentir o clima bacana depois de cada gol, e depois de cada jogo.

Eles não estão dizendo para o Cruzeirense ser soberbo, vale dizer. Afinal, o futebol é uma coisa traiçoeira.

Mas os caras parecem ter abraçado o Cruzeiro e é jogando bola que eles estão pedindo para a gente abraçar também.

Eu sei que o Brasileiro é difícil pra caramba, e eu, que (quase) me acostumei com o Cruzeiro dos últimos dez anos, custei a ter coragem de dizer que o Cruzeiro desse ano iria realmente disputar o título do Brasileirão. Talvez até como uma forma de defesa antecipada contra desapontamentos, tão comuns nos últimos anos.

Mas sim. Estou confiando nesses caras. Eles merecem.

Acho que o ponto que passei a achar realmente que é possível foi aquele jogo contra o Bahia fora de casa. O típico jogo em que alguma coisa daria errado e levaríamos o empate no final, mas, ao contrário dos últimos dez anos cruéis, quem fez o gol no final foi o Cruzeiro, ampliando, ao invés de levar o empate.

Depois veio a partida contra o Flamengo, pouco depois da eliminação na Copa do Brasil. Uma bola bate no joelho do Goulart, depois na trave, volta pro Goulart e ele marca o gol da vitória. Pense bem, se esse jogo fosse em 2011 a bola teria batido no joelho do cara e ido parar na lateral.

Em seguida, teve aquele jogo contra o Goiás. Um sofrimento danado. Bolas na trave no segundo tempo. Puta merda, gente, os caras venceram um time que não perdia em casa a 42 jogos.

Sem contar que antes disso tudo a gente venceu o São Paulo fora de casa. Cara, a gente venceu o São Paulo. Não tem como isso não ser um recado pra gente acreditar.

Aí vem essa partida contra o Atlético Paranaense. Jogo difícil, contra um time invicto a 13 jogos (!). Niltão faz um belo gol e, logo em seguida, anulam gol legítimo. Claro que se esse jogo não fosse em 2013 a gente levaria um contrataque e um gol aos 44 do segundo tempo.

Mas esse ano a coisa tá diferente. Tivemos um cara como Julio Batista para conseguir três escanteios seguidos depois dos 46 minutos e matar o tempo para garantir três pontinhos de ouro e praticamente matar um dos outros postulantes ao título. Isso é o tipo de coisa que faz a diferença. É algo que dá confiança para o torcedor.

Nem preciso dizer que não ganhamos nada. A maré pode virar e de repente a urucubaca voltar, mas esses caras tão dando motivo para eu e você acreditarmos que eles são capazes de fazer algo realmente grandioso.

Sei que a gente viu sempre a coisa desandar de última hora nos últimos dez anos, mesmo assim a gente não pode desistir de acreditar que uma hora vai. Pode ser esse ano ou em outro ano, mas esse time está claramente nos dizendo: “seremos campões e não se esqueça”.

Quarta feira, dia 18 de setembro, no Mineirão, teremos o jogo mais importante do ano.

Não vai ser fácil.  Em outros anos eu teria muito receio de que tudo desse errado, mas esses caras estão falando pra mim: “pode confiar, cara”

É hora de acreditar no recado e lotar o Mineirão.

  • Izabela

    Achei que fosse só que ainda estivesse com esse sentimento de algo vai acontecer aos 43 minutos rsrs…Esse time parece que realmente abraçou o Cruzeiro e quer provar que pode sim ser campeão brasileiro!Belo texto acho que de fato transmite o sentimento do torcedor.

  • @israel_sura

    “Sem contar que antes disso tudo a gente venceu o São Paulo fora de casa. Cara, a gente venceu o São Paulo”

    – SEREMOS CAMPEÕES E NÃO SE ESQUEÇAA !!

  • Pingback: Falta pouco, mas falta muito. | Corneta FCCorneta FC()