Cruzeiro 2 x 0 América – MEU DEUS ESSE TIME RESERVA DO CRUZEIRO

Tempo de leitura: 4 minutos
tava mais cheio do nosso lado, pelo menos

tava mais cheio do nosso lado, pelo menos

Olá amigos.

O Cruzeiro B destruiu o América ontem. Na verdade nem é bom chamar esse time de B porque tem muita gente A escalada. William poderia/deveria ser titular, Júlio Baptista pode jogar tranquilamente no meio-campo (não de centroavante, por favor), Mayke deveria/poderia/não entendo porque não é titular, Henrique, jogando tudo o que sabe, fazendo pré-temporada e não se lesionando muito poderia muito bem aparecer no time titular e Marlone vai ser o maior jogador de futebol da história do universo.

Sério mesmo. Marlone é diferente. Pode não dar em nada, como acontece com diversos jogadores com potencial, mas sinto que esse garoto vai ser um grande jogador. Ele não fez chover, não destruiu o América, fazendo um bilhão de gols e novecentas assistências, mas cada vez que pegava na bola o rapaz mostrava muita técnica, um dibre rápido e suas viradas de jogo foram excelentes.

Ele mostra muito mais técnica, combinada à velocidade, que Élber, por exemplo. O jogador da base entrou na partida e não teve tanto impacto quanto Marlone, mesmo já sendo aproveitado a mais tempo no time principal do Cruzeiro. Por essa partida, parece que Marcelo Oliveira está olhando mais para Marlone, que realmente parece mais preparado para a equipe principal. Além disso, conta em favor do ex-vascaíno o passado na equipe do Rio de Janeiro. Marcelo foi o treinador que o subiu para a equipe principal.

Marlone falou sobre isso ao final da partida:

É questão de gratidão que eu tenho por ele. Ele teve um carinho muito especial comigo no momento que eu precisava, no Vasco. Ele que me lançou. Eu fiz um bom jogo na Copa do Brasil Sub-20, contra a Ponte Preta, em 2012. Eu já era do elenco profissional, mas tinha essa dúvida. Ficava subindo e descendo, aí ele já me subiu mesmo e na minha segunda partida como profissional ele já me colocou de titular, contra o São Paulo, com o Vasco lutando para ficar no G-4. Ele me chamou no canto, falou que se eu errasse a responsabilidade era dele. Não liga se a torcida pegar no seu pé, jogue sua bola. E eu fui muito bem, quase faço um gol no Rogério. E partir dali eu carrego vários ensinamentos do Marcelo.

É ou não é um novo Éverton Ribeiro? Trabalhou com o treinador em outro clube [v] check, tem a confiança de Marcelo no Cruzeiro [v] check, dá vários dibres [v] check. Só vejo verdades e tomara realmente que ele consiga chegar perto do que Éverton fez pelo Cruzeiro em 2013.

E ele, tal qual um pokemon, quer evoluir e buscar a titularidade. Quando ele foi contratado achei que seria um jogador para o futuro, 2015, 2016, mas acho que ele pode contribuir esse ano ainda. E é agarrando todo o tipo de oportunidade possível que pode conseguir:

Eu espero trabalhar, porque eu vim para evoluir. Sou um atleta em formação e tenho muito que evoluir ainda. Então eu quero estar preparado para a oportunidade e agarra quando tiver. Se eu falar para você que eu não quero ser titular, é mentira. EU vou trabalhar para estar pronto quando tiver oportunidade. E, assim, dar mais títulos ao Cruzeiro, que fez uma bela campanha ano passado.

Marcelo Oliveira também falou – e bem – sobre o time reserva.

Primeiro foi realmente a vitória, o resultado que era importante. Esse jogo tinha o sentido de observação também, ver jogadores que não vinham jogando. Havia esse cuidado de estar bem organizado para não desgastar muito. Pra nossa surpresa muito positiva, o time jogou muito bem, equilibrado, atacando na hora certa, e dando poucas opotunidades. O América-MG valorizou a nossa vitória. Tivemos a chance de ver alguns jogadores, e temos a certeza absoluta de que temos um grupo muito bom, bem treinado, e com capacidade de trocar peças sem perda de qualidade.

Realmente foi impressionante como o time reserva, que não é tão reserva assim, estava arrumado em campo. E como não deixaram o América jogar. William e Marlone, principalmente, pareciam jogadores titulares, ótimos em suas posições, sabendo o que fazer a todo momento, mudando de lado, aparecendo pelo meio. Era um time muito bem treinado. Mas é como dizem, bons jogadores se entendem rapidamente. Ainda mais num time em boa fase, jogando sem responsabilidades. Foi bem legal de ver.

E como tá tarde, demorei demais pra postar isso, vou ficando por aqui.

Até amanhã.

Não me siga

Michael Renzetti

Não sei nada sobre táticas, sobre jogadores, sobre times - bom, na verdade eu acho que não sei nada sobre futebol. Mas eu gosto de opinar.
Não me siga