Pré-Jogo – Real Garcilaso x Cruzeiro: Podemos ganhar na altitude, “podemos ganhar tudo” e o apagão

Tempo de leitura: 4 minutos

william-real-garcilaso-cruzeiro-uma-cerveja-por-favor

Olá amigos.

Hoje o Cruzeiro vai jogar sua primeira partida pela Libertadores 2014, contra o Real Garcilaso, no Peru. O jogo será em Huancayo porque os incompetentes do Garcilaso estão com o estádio em obras, então vai ser meio que dois times jogando fora de casa. Mas eles, pelo menos, estão no mesmo país, pertinho, com altitude (o que ajuda os times ruins).

Mas o Real Garcilaso está com medo do Cruzeiro. Pode não parecer, pelas declarações destemidas, mas estão tremendo com a força da nossa equipe. Nada mais explica esse treinamento de apagão que eles fizeram durante o treino do Cruzeiro ontem. Claramente é uma tática Atlético Mineiro, que, quando o medo de perder vai lá no alto, você apaga as luzes e tenta começar de novo.

O pessoal se aqueceu por 20 minutos e quando iam começar a treinar, BUM, Atlético Mineiraram o estádio e ninguém viu mais nada. Os jogadores voltaram para o hotel sem reconhecerem o gramado. Valdir Barbosa ficou bastante bravo com a situação.

É uma vergonha. Nós treinamos 20 minutos e desligaram as luzes do estádio porque não há combustível suficiente pra manter o gerador ligado.

Não temos o que fazer. É parar de treinar e ir embora para o hotel. Eles nos avisaram que teríamos 20 minutos apenas por causa da falta de combustível nos geradores. Isso é inadmissível. Existe uma Confederação Sul-Americana. Existe um regulamento geral de competições que pede outro tipo de coisa. Para que nós tenhamos credibilidade junto ao mundo do futebol, temos que tratar com mais carinho a Taça Libertadores, não apenas liberando pra se jogar da forma que está sendo feito aqui.

Outra suspeita é que essa tática de apagar as luzes foi ideia das mulheres peruanas para atacar William e Tinga, os galãs do Cruzeiro. Mas nada pode ser provado.

Esse papo de credibilidade da competição, mostrar a Libertadores como um grande evento, é muito importante. Sempre tem os caras que falam “ah, libertadores é o torneio mais difícil, brasileiro é muito mais disputado, europa é uma bosta, ser tosco é um charme”. Fico vendo como as competições são tratadas e não entendo como alguém acredita nisso. Como uma pessoa pensa que enfrentar uma equipe sem estádio, não podendo nem treinar por falta de combustível, é a coisa mais incrível do mundo, que o campeonato é forte, charmoso? Pra mim, esse tipo de coisa mostra como tem clube de várzea no meio da Libertadores. Ontem mesmo o Atlético venceu o Zamora fora de casa jogando um futebol ridículo, futebol que não garantiria uma vitória no campeonato mineiro. Fiquei impressionado.

E para complementar a várzea, o estádio do jogo nem pintado estava e nem tinha redes nos gols. Olha, eu não sou o maior entendedor do mundo em futebol, mas acho que para jogar você precisa das linhas do campo e dos gols. Pelo menos para uma partida oficial. Para brincar acho que os jogadores conseguem colocar uns chinelos nos gols, linhas imaginárias, tudo o que a gente fazia quando jogava na rua. É bom porque vai lembrar os tempos antigos, e todo mundo ama os tempos antigos, não é mesmo? Modernidade? Eca.

Éverton Ribeiro deu uma entrevista para o Lance! – não posso comprovar que ela seja real risos (brincadeira, eu acho) – e disse que o Cruzeiro pode ganhar tudo esse ano, inclusive a Libertadores. E fala sobre o problema da altitude.

A gente está conversando com quem já jogou na altitude. Sabemos da dificuldade, mas a gente quer chegar longe na Libertadores e precisa passar por cima disso. É uma dificuldade a mais, mas temos que dar o máximo para que saiamos vencendo na estreia.

Essa é a primeira Libertadores de Éverton Ribeiro, e ele falou sobre suas expectativas para a competição.

Estou com uma expectativa muito boa. É uma oportunidade de jogar a Libertadores, torneio que muitos atletas sonham em jogar. Então, estou muito feliz por poder disputar, ainda mais em uma grande equipe e um grande elenco que já é vencedor. Tenho certeza que vamos buscar ao máximo o título.

Vejo como uma oportunidade de mostrar o meu futebol alegre, como tenho feito e tem dado certo. Estou ajudando a equipe. Então, tenho que continuar jogando da mesma maneira, porque tenho certeza que vai dar certo.

Além disso, ele falou sobre os outros campeonatos, Brasileiro, Mineiro e Copa do Brasil, e das chances do Cruzeiro em cada um deles.

Podemos ganhar todos os títulos que disputarmos. A gente tem um elenco grande para isso. Temos que entrar com a mesma vontade em todos os campeonatos. É sempre importante ganhar títulos. Devido ao nosso elenco, vamos entrar com vontade em todos os campeonatos.

É exatamente isso que queremos de todos os jogadores. A fala de Éverton é muito legal e bem certeira. O Cruzeiro tem time pra ganhar tudo. É claro que uma escorregada pode tirar algum desses títulos, nada é garantido, mas somos os favoritos e temos que nos portar como tal. Nada de ir para o Maracanã e tremer. É partir pra cima de todo mundo tentando sempre ganhar. Como o próprio Éverton faz tão bem nas partidas e em seus dibres.

É isso. Até amanhã.

Não me siga

Michael Renzetti

Não sei nada sobre táticas, sobre jogadores, sobre times - bom, na verdade eu acho que não sei nada sobre futebol. Mas eu gosto de opinar.
Não me siga