Voltando após o Carnaval, Defensor, Preços dos Ingressos e Falta de Punição

Tempo de leitura: 4 minutos

esperando

Olá amigos.

Estamos de volta após um longo e tenebroso carvanal. Na verdade não foi nada tenebroso, mas é legal usar longo e tenebroso juntos. Faz parte da cultura escrítica (palavra que não existe) brasileira. Mas ism, eu estava sumido, pois = muito trabalho e muito carnaval. Mas não fique triste, estou de volta e agora para ficar. CALMA ESTÁ TUDO BEM AGORA.

Já vamos começar falando da partida de logo mais. Se você não sabe, o Cruzeiro vai enfrentar hoje, às 19:30, o Defensor do Uruguai. Sim, o time que defende todo um país. E vou ficar muito decepcionado se a defesa deles não for muito boa e a gente golear, tipo aconteceu com a Universidade do Chile. Eles tinham um uniforme tão bonito, tem um nome legal, um apelido mais legal ainda “La U”, chegaram com toda a pompa e perderam de mil a um. Isso mostra nossa força, e talvez a falta de força deles. E que, mesmo você não gostando, a altitude atrapalha demais.

Bom, para a partida o Cruzeiro não deve ter muitas mudanças, o time deve ser o mesmo que vem jogando e destruindo todo mundo (menos a altitude), com:

Fábio, Ceará, Dedé, Bruno Rodrigo e Egídio; Rodrigo Souza e Nilton; Ricardo Goulart, Éverton Ribeiro e Dagoberto; Marcelo Moreno.

E Rodrigo Souza impressionou mesmo Marcelo Oliveira. Colocou Lucas Silva, nosso melhor passador, no banco. Realmente acho que ele deveria ser titular, porque dá ao Cruzeiro uma coisa que sempre faltou em 2013, mais pegada do meio campo, uma proteção maior à zaga. Mas não sei se Lucas Silva deveria ser o jogador a sair, já que ele é muito importante na transição defesa e ataque, além de ter um ótimo passe. Bom, mas Nilton também é um ótimo jogador, muito importante no ano passado, com pegada, força física, bem na bola parada. O que podemos tirar disso é que temos ótimas opções e temos o luxo de deixar um dos melhores volantes do Brasileirão de 2013 no banco.

A polêmica do confronto dessa noite são os preços dos ingressos para nossa torcida. Os caras estão cobrando 233 reais para os cruzeirenses assistirem à partida, enquanto o ingresso custa de 5 a 20 reais para os torcedores da casa. É absurdo. Muitos cruzeirenses estão pensando em assistir ao jogo na torcida do rival, e isso pode dar problema.

Acho que deveria haver um controle dos preços de ingressos. Pelo menos uma regulamentação em que o preço para ingressos para os times da casa e adversário não sejam tão discrepantes. Um caso parecido (mas não tão ridículo quanto) aconteceu na europa. Os ingressos para Arsenal x Bayern na Inglaterra eram caros, diferente do que os alemães estão acostumados a pagar, com seus ingressos super baratos. Então, o próprio Bayern pagou parte dos ingressos para seu torcedor conseguir assistir à partida. É claro que isso nunca vai acontecer com o Cruzeiro, nunca esperaria que nosso clube fosse ajudar o torcedor. Mas seria tão legal.

Para terminar, Tinga falou sobre o caso de racismo no Peru, que está quase completando um mês sem que alguma ação fosse tomada.

Essas questões de punição não somos nós quem decidimos isso. Para isso, mais que uma punição, é um fator humanitário, de educação. O que a gente tem que fazer, eu como atleta, e outros atletas, é mostrar exemplos diferentes. Essa questão de punir fica para aqueles que são pagos e organizados para fazer isso. Nós atletas temos que dar exemplo.

E esse negócio de punição é complicado. Eu acho que a punição deveria ser para os torcedores. Como foi uma coisa forte, que saiu das arquibancadas, parecia ter sido feita pela maior parte das pessoas presentes, a Conmebol poderia fazer com que o Real Garcilaso jogasse o restante de suas partidas com portões fechados. Acho que é o mais justo, pois o time deles não fez nada. Pelo contrário, treinador e jogadores foram contra a manifestação dos torcedores. E não consigo pensar em alguma maneira deles controlarem ou evitarem o acontecido.

Além disso, mesmo que alguns desses torcedores presentes digam que também não concordaram com o que aconteceu, infelizmente teriam que pagar pelo que a maioria fez. Pra mim, isso seria o mais justo. Mas é uma questão tão complicada que Gilvan mesmo, nosso presidente, acha que o clube peruano deve ser punido:

Esperamos que sejam tomadas providências. Não contra o povo peruano em geral. Mas contra aquelas pessoas que se manifestaram de maneira tão negativa no jogo do Cruzeiro. É uma tristeza para a população ter ainda esse sentimento de racismo, coisa que já deveria ter sido extirpada do mundo. Esperamos que haja punição, e não tem outra forma de punir que não seja punir o clube. Como aqui no Brasil, em que pune-se o clube pelo ato de um torcedor.

Tomara que, pelo menos, algo seja feito, seja contra o clube, seja contra a torcida. O que não pode é deixar um ato tão horrível passar impune.

Até amanhã.