Campeão Mineiro, Mantendo ~Espírito~ para a Libertadores e Brasileirão

Tempo de leitura: 3 minutos

cruzeiro-campeao-mineiro

Olá amigos.

Ontem o Cruzeiro empatou a segunda partida da final contra o Atlético Mineiro e foi Campeão Mineiro na centésima edição do torneio. Estava doido para o Cruzeiro ganhar o Campeonato Mineiro novamente, mas não porque acho um campeonato importante, e sim porque o Atlético estava ganhando todo ano. E isso não pode acontecer.

O empate foi ruim, a gente deveria ter vencido até com certa facilidade. Não podemos perder tantos gols assim, isso ainda vai nos atrapalhar em alguma partida futura.

Júlio Baptista, Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart não podem perder chances tão claras. É bom matar as partidas o quanto antes, e nós tivemos pelo menos três chances de fazer exatamente isso. E em cada uma delas o jogador escolheu a opção errada de finalização. Éverton Ribeiro até que podia marcar do jeito que chutou, mas era melhor fintar o goleiro ou chutar rasteiro no canto. Júlio Baptista, sozinho na pequena área escolheu o canto do goleiro para colocar a bola e Ricardo Goulart, sozinho na entrada da grande área, podia ter escolhido qualquer lugar no gol para fazer o 1 x 0 e conseguiu – não sei como – chutar para fora.

Mas tudo bem, fizemos a melhor campanha, empatamos a partida no Independência e fizemos por merecer essa conquista. Seria mais legal com uma vitória, mas pelo volume de jogo da equipe, as chances criadas, valeu, foi uma boa apresentação. De tanto que o Atlético não jogou ontem, até parecia que eram eles que precisavam apenas de um empate.

Éverton Ribeiro foi o melhor em campo, indo sempre pra cima da marcação, driblando todo mundo que aparecia na sua frente e criando bastante. Insisto em dizer que ele não deveria ter perdido aquele gol, mas mesmo assim ele jogou muito bem. É continuar assim e fazer a mesma coisa pela Libertadores, mas SEM PERDER GOL FEITO.

E falando em Libertadores, o jogo é quarta-feira agora, dia 16. Nem dá tempo pra descansar. E acho que isso vai ser bom pra gente. Se o cansaço não pegar os jogadores, continuar nessa toada de vitória após vitória, conquista após conquista, classificação após classificação, é muito benéfico. Os jogadores se acostumam a ganhar. E esse é o espírito que devemos ter para a partida contra o Cerro Porteño. De que podemos vencer qualquer um, e somos uma equipe muito forte.

Tenho certeza que nossas atuações nas oitavas de final da Libertadores serão muito melhores do que as da fase de grupos. Sinto que o Cerro Porteño não será um adversário tão difícil desde que saibamos jogar nosso jogo. O time não pode ficar tão nervoso, não pode sentir a partida fora de casa nem enlouquecer ao levar um gol. E sim, estou olhando para você Dedé.

Além disso, no próximo final de semana o Cruzeiro já estreia no Brasileirão contra o Bahia, fora de casa. Não parece ser um jogo particularmente fácil, mas acho que nosso time consegue vencer se jogar seu futebol. O problema é que a equipe enviada para a Bahia deve ser composta por muitos reservas, pois o jogo será apenas quatro dias após o confronto pela Libertadores. Na verdade, isso não é problema, porque nossa equipe reserva é muito boa. William, Borges (ou Moreno), Marlone, Nilton, William Farías, Wallace, Mayke, Egídio, todos são ótimos jogadores, que poderiam estar na equipe titular tranquilamente. Temos muitas chances.

Até amanhã.