Futebol com suas bundas e bundões

Tempo de leitura: 3 minutos

Faz um tempo bom que conversava com o Douglas sobre a relação do futebol e, nós, mulheres.

Essa discussão surgiu quando falaram em lançar a camisa nova do Cruzeiro e eu, com minha esperança certeira, já pressentia que não veria a camisa feminina pra vender, assim como em 2013.

Vocês acharam que eu ía colocar foto de bunda de mulher, né? | Foto: popsolt.com

Vocês acharam que eu ía colocar foto de bunda de mulher, né? | Foto: popsolt.com

Neste domingo, a bandeirinha (que estou com preguiça de procurar o nome… por que diabos alguém ia decorar o nome de um árbitro assistente?) fez um absurdo em marcar um impedimento onde o Alisson estava a 3,26 m do último homem.

Heber Roberto Lopes, o mesmo daquele Botafogo 2×2 Cruzeiro de 2010, fez uma arbitragem péssima. Inventou um pênalti, não marcou outro pênalti e também poderia ter voltado o impedimento bizarro que a bandeira marcou.

Mas o Heber ficou em segundo plano. Em primeiro plano, a bandeirinha que muitos até decoraram o nome. Loira, catarinense, maquiada, em forma… mas o quê tem a ver com a merda do futebol? Beleza não põe mesa, não é o que diz no ditado?

Não devemos nos referir a ela como mulher bonita que errou. É apenas a “bandeira que errou”. Ou não?

A declaração do Mattos foi outro ponto, machista porque teve que citar beleza. Mas, por mim, o contexto fez que ela ficasse extremamente machista, mais do que é. Pelo que entendi, o questionaram sobre a bandeira e ele respondeu:

Estão tentando promover ela porque ela é bonitinha e não é por ai. Ela tem que ser boa de serviço, profissional e competente. O erro dela foi muito, muito, muito anormal, coisa de quem está começando uma carreira. Se é bonitinha, que vá posar para a Playboy, não trabalhar com futebol”

Deram ênfase para a parte final, mas a parte inicial é o que importa pra mim. Se fosse um homem que tivesse fama porque trocava pneu bem e ele respondesse: “Se troca pneu bem, que vá ser mecânico, não trabalhar com futebol” seria feminismo? A primeira parte da resposta foi o contrário do machismo e a parte final foi o que é considerado “normal” no futebol e muitos fingem não ver.

Os portais de esporte na internet fizeram galerias de fotos com ela, passaram a biografia, descreveram a beleza e citaram os erros contra o São Paulo e foi escalada pro clássico. A parte do futebol ficou por fim e a própria mídia quis divulgá-la assim.

O futebol é babaca e machista faz tempo, não se escandalizem agora. Tentem mudar a partir de agora.

Assino a revista do Cruzeiro desde 2009 e a segunda seção é chamada de “Colírio Azul”. São mulheres cruzeirenses (imagino, né), bonitas e que ficam posando com roupas mínimas pra fotos com coisas do clube. Eu sempre pulo essa parte. E olha que não tem nenhuma seção que mostre as coxas e peitoral do Willian, Lucas, Goulart, Fábio… Ora, procuro futebol e outros esportes na revista. Ou já teria cancelado a minha assinatura, né?

Abro a página de esportes da UOL e tem concurso de bunda entre as torcidas. Tem também o concurso “Musa do Brasileirão”, “Musa do Mineiro”… E por aí vai.

Já teve blogueiro do globoesporte criticando meu texto dizendo que era “falta de homem” e muitos comentários da época da Globo que me mandavam pilotar fogão. Futebol sempre foi machista. E, quem me acompanha, sabe que sempre reclamo. Mas a ênfase é maior quando aparece em declarações e ficam com a cara “nossa, como ele é mau”.

Não temos produtos oficiais disponíveis, camisas são raras, acessos miseráveis no estádio (na final do Mineiro esse ano, tinha uma barraquinha de revista para as mulheres entre 35 mil pessoas) e o Cruzeiro esse ano optou por não fabricar a camisa feminina do modelo da Libertadores.

Vocês fingem de égua ou estão achando que isso apareceu agora?

Sou sócia, não falto a nenhum jogo, assino a revista do Cruzeiro, assino a Placar, leio livros sobre futebol, gosto de futebol e sou mulher. Algum problema nisso?

Luciana Bois

Luciana Bois

★★★★ Uma maria que possui a estranha mania de ter fé na vida. ;D
  • Republicou isso em Squadra Azzurra.

  • Ah, essas mulheres bravinhas <3 KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Dizem que eu assisto futebol por causa do meu namorado. Coitados, mal sabem que ele briga comigo por assistir tantos jogos e até chorar em jogos do Cruzeiro.