[Cerveja na Copa] Brasil 3 x 1 Croácia – Tá tendo copa sim

Tempo de leitura: 6 minutos

marcelo-croacia

Olá amigos!

O cerveja me enviou para o local onde está se disputando a Copa do Mundo para que eu pudesse cobrir esse evento, que serve de abertura para o real torneio, a Copa Disney. Essa sim é a Copa que todo mundo quer ver. Mas enquanto ela não começa vamos tentar trazer para você, querido leitor, os melhores momentos dessa Copa do Mundo, sempre analisando as partidas da seleção brasileira (e outros jogos importantes).

Vamos começar pela abertura. Não sei sobre vocês, mas eu não consegui entender nada. Primeiramente, fiquei bastante confuso com a bola do clipe da Miley Cyrus no meio do campo. Não entendi porque o Brasil usou sucata para fazer a decoração do evento. Disseram que foi gasto 9 milhões de reais nesses 5 caras dançando em volta da Miley. Pode ser que quando a Joana Havelange disse que o que tinha pra ser roubado já foi, ela se referia a toda a verba para a abertura. Aí sim faz todo o sentido.

achei ousado

achei ousado

Mas tudo bem, vamos ao jogo, pois ninguém se importa com aberturas de eventos.

O Brasil, mesmo com todos os avisos da nação, foi a campo com Daniel Alves de lateral direito. E deu no que deu. O pessoal da Croácia pintou e bordou nas costas do camisa dois da seleção. Sério, literalmente, os jogadores da Croácia saíram para o intervalo com um casaquinho bordado e um quadro muito bonito, de tanto que tinham espaço pela lateral. E além disso, fizeram um gol por ali.

Mas não vamos dar todos os créditos para Daniel Alves. Apesar dele ter desaparecido de campo na hora do lance, não foi o único responsável pelo gol. Temos que nos atentar para a movimentação do melhor jogador da Croácia na partida. Marcelovic. O jogador, que enganou a todos se fazendo passar por lateral esquerdo da seleção brasileira, na verdade joga pela Croácia e marcou um belíssimo gol – fingindo ter errado a bola.

Não sei como a FIFA permite que um jogador adversário seja convocado e jogue pela seleção adversária, é uma regra absurda e datada que deve ser mudada. Mas enquanto ela ainda está em vigor, a Croácia se aproveitou muito bem para sair na frente no placar.

O Brasil também se utiliza dessa tática de colocar jogadores adversários nas outras equipes para que eles as enfraqueçam e/ou façam gols contra. Foi, por muito tempo, a intenção com Liedson em Portugual. A missão do jogador era ser tão ruim que Cristiano Ronaldo não conseguiria levar os portugueses longe. E funcionou bem até que eles descobriram o plano e deixaram de convocar o brasileiro.

Apesar do gol sofrido, Neymar e Cia continuaram a jogar seu futebol – o que não significa nada demais – e tentaram por diversas vezes chegar ao empate já no primeiro tempo. Fred, que veio a campo completamente de ressaca, desempenhou um papel muito importante – conhecido muito bem por peladeiros que beberam demais no churrasco. Ele tentou não atrapalhar. Fred fugia da bola, se escondia nos ataques da seleção, fez o mínimo possível para ser o falso nove da equipe. Ele foi tão falso que às vezes eu achava que estávamos jogando com dez.

E justamente por Fred não atrapalhar foi que Neymar conseguiu marcar o primeiro gol. Ele recebeu a bola na posição que Fred deveria estar, dominou e chutou bem no cantinho para empatar a partida. A não participação de Fred foi muito importante para esse gol, pois se o camisa nove estivesse em sua posição natural no lance, Neymar pensaria em tocar a bola, o que seria um grande equívoco.

Com o um a um as seleções falaram “beleza, vamos dar uma descansada agora, tá tudo empatado de novo, vamos tocar bola e entender o que está acontecendo”. E ficaram no lenga lenga até o final do primeiro tempo. Ainda deu tempo de Neymar meter uma cotovelada na cara do Modric e levar um discutível cartão amarelo.

No segundo tempo o Brasil foi pra cima pensando em definir o jogo rapidamente, chegando ao segundo gol bem no início. Mas não foi isso que aconteceu. A Croácia se fechou muito bem e continuava a explorar o fato de Daniel Alves não saber o conceito de defender e Marcelo jogando muito bem como espião infiltrado. Mas eles não contavam com um espião brasileiro também infiltrado na partida. Um jogador muito esperto, muito experiente, que atacou e roubou as roupas do juiz no intervalo, se passando pelo árbitro da partida durante todo o segundo tempo.

O impostor já chegou arruinando um pênalti para a seleção brasileira após a primeira participação de Fred no jogo. Cansado de não atrapalhar, o centroavante tentou dominar a bola na área, mas se atrapalhou todo e acabou se jogando no chão para não passar vergonha. O juiz impostor viu aquilo e percebeu ser sua grande oportunidade de ajudar o Brasil. Marcou pênalti, apesar de 100% das pessoas assistindo a partida saberem, sem precisar de replay, que nada havia acontecido. Pra você ver o tamanho do erro, até Arnaldo Cezar Coelho, vendo o replay várias vezes, não conseguiu achar algo para inventar o pênalti.

penalti claro

penalti claro

Depois da cobrança meio ruim de Neymar, que contou com a ajuda do goleiro adversário mais uma vez, o Brasil virou o jogo. Dois a um. E agora a partida estava mais equilibrada, já que o juiz impostor virou o décimo jogador brasileiro contra treze da Croácia, que já contava com os onze iniciais, Daniel Alves e Marcelovic.

Em maior número, a Croácia partiu pra cima e quase marcou o gol de empate, não fosse mais uma intervenção certeira do juiz impostor. Após Júlio César fazer exatamente o que se espera dele no gol da seleção, que é entregar a paçoca, e soltar uma bola fácil na cabeça do adversário, o juiz impostor inventou uma falta anulando o gol legítimo da Croácia. Um trabalho de primeira.

No fim, a Croácia pressionou e conseguiu um forte chute a gol. Júlio César ainda tentou entregar rebatendo a bola para o meio da área. Mas os jogadores da Croácia não entenderam a jogada do goleiro brasileiro e perderam a chance de marcar. A bola sobrou no meio campo e Ramires fez sua jogada característica de cometer uma falta clara que todo mundo vê menos o juiz – que também estava do nosso lado – e passou para Oscar, que honrou sua camisa 11 marcando um gol de bico.

No final das contas foi uma ótima partida, com um placar final que não ilustrou a dificuldade que o Brasil encontrou ante a Croácia, mas pelo menos vai ficar bonito na história, quando a gente esquece o contexto das coisas e só lembra dos placares. Daqui a quatro anos um comentarista qualquer da SporTV vai dizer que “o Brasil teve uma grande estreia na Copa de 2014, passando com facilidades pelo time da Croácia”. Pode anotar aí o que estou te falando.

Agora vamos para aquele bate-bola rápido e bonito que todo mundo ignora o texto acima para ler:

Melhores da partida: Exoesqueleto, o jogador brasileiro vestido de juiz, Oscar para o Brasil e Marcelovic para a Croácia.

Piores da partida: Daniel Alves e por que não o próprio Daniel Alves de novo, além do Fred.

Destaque: Mapa de calor do Fred.

mapa-de-calor-fred

Destaque 2: Cláudia Leitte de galinha pintadinha.

claudia-leitte-galinha-pintadinha

Imbecilidade da rodada: os xingamentos à Dilma antes da partida.

Até a próxima!