Planejamento de um post que deu sorte e Ricardo Goulart quebrando recordes

Tempo de leitura: 4 minutos
"pensando aqui no tanto de gol que eu ainda posso fazer"

“pensando aqui no tanto de gol que eu ainda posso fazer”

Olá amigos!

Ontem no twitter surgiu uma conversa de que o Bob Faria havia aprontado mais uma das suas. Ele teria dito o seguinte no programa Arena SporTV:

O Cruzeiro não é um exemplo a ser seguido. Foi um caso de planejamento que deu sorte.

Eu não consegui achar o vídeo para provar a veracidade a frase, mas torço para que seja real porque é uma das coisas mais engraçadas que já vi em muito tempo. Após já ter dito que o Cruzeiro só venceu sua penúltima partida porque contou com a ajuda do Vitória, ele me vem com essa de que o time campeão brasileiro, que contratou muito bem e manteve suas peças após o título, além de se reforçar na parada para a copa não é um exemplo a ser seguido. Mas até aí tudo bem. Ele pode não gostar de como a equipe faz seus negócios, temer que o time esteja se endividando – como o Atlético para montar a equipe de 2013 – ou qualquer outra coisa. Discordo dele, mas até entenderia. O problema foi a segunda frase.

Essa segunda frase é tão absurda que me faz desconfiar da veracidade da informação. Bob diz que o sucesso do Cruzeiro é um PLANEJAMENTO que deu SORTE. Eu torço muito para isso ser real, mas não consigo acreditar. Um ser humano estudado, apresentador de programas, contratado da globo, não pode falar algo tão absurdo ao vivo em rede nacional. Não sou nenhum especialista em definições de palavras, mas acho que planejamento e sorte meio que não combinam muito numa frase. Tomei a liberdade até de buscar a definição de planejamento no google.

O planejamento (português brasileiro) ou planeamento (português europeu) é uma ferramenta administrativa, que possibilita perceber a realidade, avaliar os caminhos, construir um referencial futuro, estruturando o trâmite adequado e reavaliar todo o processo a que o planejamento se destina. Sendo, portanto, o lado racional da ação. Tratando-se de um processo de deliberação abstrato e explícito que escolhe e organiza ações, antecipando os resultados esperados. Esta deliberação busca alcançar, da melhor forma possível, alguns objetivos pré-definidos.

Já a definição de sorte é um pouquinho diferente:

A definição de sorte costuma variar conforme o contexto emocional, filosófico, religioso ou místico, de quem a interpreta. Segundo o clássico dicionário Noah Webster, Sorte é “uma Força sem propósito, imprevisível e incontrolável, que modela eventos de forma favorável ou não para determinado indivíduo, grupo ou causa”. Já o autor Max Gunther a define como evento ou série de eventos, aparentemente fora de nosso controle, que influencia(m) nossas vidas.

A conclusão que fica desse episódio é que realmente o Bob Faria não sabe o que está falando.

Então vamos falar de coisa boa? Coisa muito boa mesmo? Uma coisa que vem marcando gols, liderando artilharias, liderando premiações e tudo quanto é tipo de coisa? Vamos falar de Ricardo Goulart.

Além de ser o artilheiro do Campeonato Brasileiro e liderar o prêmio Bola de Ouro da Placar com muita vantagem para seus concorrentes, o rapaz entrou na história do Cruzeiro. Ele chegou a trinta gols e agora faz parte da lista de artilheiros do clube no século. Ele se juntou a grandes nomes da equipe, como Alex, Fred, Marcelo Ramos, Ricardinho, Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado (Montillo), e ao gênio mor, o principal artilheiro da equipe no século, o cara que humilha qualquer centroavante, o rapaz que deveria estar na copa e não foi levado por falta de profissionalismo por parte de Felipão. Sim, ele mesmo. WELLINGTON PAULISTA. Que tem incríveis 75 gols em 160 jogos pelo Cruzeiro.

Toda vez que vejo os números de Wellington Paulista, acho que é um injustiça ser tão do contra e ficar zoando seu futebol. Mas toda vez que me lembro dele jogando dou graças a Deus que ele foi embora antes que eu invadisse o gramado para dar um tapa em sua cara. Eu poderia ter sido preso, perder o direito de entrar no estádio, e tudo seria culpa de WP9.

Ricardo Goulart, que não me irrita com seu modo de jogar (só quando erra muitos gols) comentou sua grande fase:

Primeiramente eu tenho que agradecer a Deus, por estar jogando e realizando um sonho. Tudo que está acontecendo é fruto do trabalho, juntamente com meus companheiros. Estou aparecendo individualmente, mas coletivamente também. Nossa equipe está muito bem. Agora é manter pra conseguir abrir mais pontos de diferença pro segundo colocado.

Eu acho legal esse tipo de coisa, de agradecer forças maiores, os companheiros e a equipe, mas os jogadores de hoje em dia estão muito fracos no quesito arrogância e prepotência. Antigamente cada equipe tinha pelo menos dois que se achavam gênios e explicavam isso a cada entrevista. Sinto saudades. (#VoltaAnos90).

E Goulart fala sobre o Cruzeiro, e suas chances de vencer pela segunda vez seguida o Campeonato Brasileiro:

A gente respeita todos os adversários, não vamos ter jogo fácil. Hoje (domingo), isto foi provado mais uma vez. Nossa equipe está bem entrosada, sabe a hora de acelerar e a hora de segurar o jogo. Isto faz diferença. Vamos dar sequência ao trabalho pra gente, mais uma vez, realizar o sonho de ser campeão.

Que fase desse jogador. Goulart faz tudo em campo, e nessa temporada ainda melhor do que em 2013. Para você ter uma noção, ele quase não errou gol na última partida. Eu sempre digo e vou repetir mais uma vez, se o Goulart não errar muitos gols, passa o Pelé em alguns meses. Aí a música dos mil gols ia ter que mudar.

Até amanhã!