Wallace magoado com o Cruzeiro e Marcelo Oliveira de touca melhor treinador

Tempo de leitura: 4 minutos
Marcelo Oliveira de touca

“e aí mano?”

Olá amigos!

Ontem o zagueiro Wallace – jogador revelado pelo Cruzeiro e vendido ao Braga numa transação muito suspeita – disse, em ótimo entrevista do Superesportes, que não queria ser vendido e ainda sente mágoas da nossa equipe. Ele diz que quase foi empurrado para fora do time, que se sentiu descartado e que queria ter tido mais oportunidades para se tornar um dos zagueiros titular do Cruzeiro.

A gente sempre quer ficar no clube que a gente começa, tem uma motivação a mais, se firmar na equipe titular do profissional e ficar no Brasil nesse início, claro. Mas, infelizmente, as coisas não aconteceram e Deus colocou o Braga no meu caminho. No momento em que eu estava no Cruzeiro, também, tinha bastante jogador.

Por mais que Wallace seja um bom zagueiro, não tem a mínima chance de pensar em ser titular de uma zaga composta por Dedé e Bruno Rodrigo. Como diz o poeta #NãoFazSentido pensar que o garoto deveria ter tido mais oportunidades como titular. Ele estava, aos poucos, entrando em partidas, jogando, mostrando seu futebol. Ser o quarto zagueiro de uma equipe e substituir um de nossos zagueiros sempre que tiver oportunidade é uma grande coisa para um jogador de 19 anos.

Isso que eu estou falando é mais para o torcedor – que veio falar comigo que ele deveria ter tido mais chances mesmo – do que para o próprio Wallace, que parece entender seu papel. Ele ficou magoado de não ter espaço APÓS a chegada do Manoel, que faz todo o sentido (como não diz o poeta).

Quando a proposta do Braga apareceu, eu estava me sentindo sem espaço no clube. Antes de eu bater o martelo, o Cruzeiro ainda anunciou a contratação do Manoel. Naquele momento eu enxerguei que o Cruzeiro já estava com intenção de me vender ou me deixar parado por mais um ano, porque já estava contratando outro. Eu imaginava jogar mais, ou ser a primeira opção de banco. Mas, com a contratação (do Manoel), eu percebi que não seria assim, como eu pensava que seria. E aí fechamos com o Braga.

Wallace, eu te digo com toda a certeza que o Cruzeiro fechou com o Manoel – entre outros motivos – para te pressionar a sair. Você acha que a equipe seria louca o suficiente para pensar nas vontades do jogador ou em manter uma de suas maiores joias ao invés de ganhar 9,5 milhões de euros – a sexta maior transação de um zagueiro que deixa o Brasil? É lógico que eles queriam te vender a todo custo. Ainda mais que essa história está mal contada pra caramba, com aquela situação do grupo já ter comprado anteriormente o passe, aí um desmente daqui, outro desmente de lá, jogador finge se chamar WÉLLICE, uma confusão geral. Talvez a gente tenha vendido o Wallace mas ainda tenha o Wéllice na equipe, dá pra subir o garoto para a equipe principal. Desculpa, vamos continuar:

Como jogador, eu senti que já estavam me descartando do plantel. Eu vinha bem, dentro do grupo, na Seleção Brasileira. Joguei oito partidas e ganhei sete. E o clube, na primeira oportunidade de eu sair, nem me perguntou direito se eu queria sair e já começou a negociar. Então me senti desvalorizado pelo clube.

A gente sempre pede que os jogadores tenham mais amor à camisa, que queiram ficar no clube, criar raízes, não pensar somente em dinheiro. E quando um jogador faz exatamente isso, o clube faz de tudo para vendê-lo ao primeiro interessado. E barato até, porque se o David Luiz vale 50 milhões de euros, o Wallace vale pelo menos metade. A gente só vai ver quando o Wallace foi contratado pelo Real Madrid daqui a dois anos o tanto que perdeu.

Wallace do Cruzeiro

“vejam meu olhar de mágoa para vocês”

Agora vamos correr com os outros assuntos que esse post está ficando muito grande.

Ontem saiu a notícia de que Marcelo Oliveira está próximo de quebrar o recorde de 138 em Campeonatos Brasileiros de pontos corridos que pertence a Adilson Baptista. E isso tudo em apenas um ano e meio de Cruzeiro. O ex-treinador do Cruzeiro e protagonista da melhor cena de voadora da história do futebol brasileiro, conseguiu 138 pontos em dois anos e meio à frente da equipe, sem conquistar nenhum título. Já Marcelo Oliveira, que ainda não protagonizou nenhuma cena histórica (perde pontos por isso) mas usa uma toquinha de mano bem legal, chegou a 101 pontos em 1,3 ano, além de ter conquistado o Campeonato Brasileiro.

Isso mostra o nível de seu trabalho aos loucos que duvidam de sua competência (será que existe esse tipo de pessoal?). Marcelo Oliveira MONTOU esse Cruzeiro. Pediu a contratação de jogadores pontuais. Nos trouxe Éverton Ribeiro, apostou em Ricardo Goulart, não tem medo de usar a base e SEMPRE colocava Mayke, Wallace, Lucas Silva, Alisson, Élber e Vinícius Araújo em campo. Aposta em novos garotos com as contratações de Marlone e Neílton, usa um estilo de jogo atraente, de velocidade, ataque, bom toque de bola. É um excelente treinador, que por mim, ficaria no Cruzeiro até aposentar. Nosso Alex Ferguson.

É lógico que ele tem problemas. Muitas vezes não concordo com suas alterações, mas que treinador no mundo não tem alguns defeitos? É normal, e ele pode aprender com esses erros para ser ainda melhor. E ainda fica muito bem usando uma touca.

Até amanhã.

  • Henrique

    Tem um erro na matéria, o MO, tem 101 pontos, o AB tem 138. A matéria comenta sobre a possibilidade de rapidamente o Marcelo bater essa marca do Adílson. No mais, grande matéria. Parabéns.

    • mikerenzetti

      Consertado. Valeu!

  • MUITO BOOOOOOOOOOM

    • mikerenzetti

      Valeu! 🙂

  • Nathália

    Pior que existe esse pessoal. Conheço alguém que só se refere ao Marcelo como “técnicozinho”, jura de pé junto que se o Cruzeiro engatasse uma sequência de derrotas ele seria demitido e que ele só segue no time porque o time é muito bom e salva a pele dele. Ah, e diz que ele é treinador de time pequeno. Sério.

    • mikerenzetti

      O time se montou sozinho, joga com esquema tático que sai da cabeça dos jogadores… o técnico está só de passageiro.