Os últimos primeiros tempos

Tempo de leitura: 4 minutos

Não é necessário dizer como o Cruzeiro vem jogando. Hoje em dia é algo que está sendo discutido em rede nacional. Mas pouco se comenta como podemos ver dois jogos em apenas um.

Foi assim em todos os jogos celestes pós-Copa. Vocês se lembram do primeiro tempo de cada um?

O minuto de silêncio para Armando Marques (a cara do Goulart diz tudo)

O minuto de silêncio para Armando Marques (a cara do Goulart diz tudo)

Cruzeiro 0x0 Vitória

Sim, 0x0. O Cruzeiro pressionou o Vitória e concluía sem nenhuma precisão, de forma até displicente. O gol aos 17 minutos do segundo tempo fez o Vitória ter outra postura e talvez abrir o jogo um pouco mais. Mas o primeiro tempo foi sofrível, triste mesmo.

Talvez porque tinha um time do outro ladoTM, que sabia da sua inferioridade em relação ao Cruzeiro e decidiu fechar o seu jogo da melhor maneira possível impossibilitando o Cruzeiro de jogar. E o Marcelo Oliveira disse que sabia que isso ía acontecer.

Palmeiras 0x2 Cruzeiro

superesportes

Depois de alguns dos mil gols do Goulart

Eita jogo maravilhoso até os 10 minutos! O Cruzeiro chegou com perigo duas vezes antes de marcar o primeiro gol aos 7 minutos e depois ampliar aos 10. Gareca montou os donos da casa com 3 atacantes porque sabia que o Cruzeiro vinha forte, mas tinha que marcar os gols antes do time mineiro. Não deu certo até os 30 minutos de jogo…

O Palmeiras tomou uma água milagrosa e começou a jogar muito. Não sei se era a água mesmo ou que após fazer 2×0 com 10 minutos de jogo, sendo visitante, você relaxe um pouco e queira controlar o resultado. Fico com a segunda opção.

O Cruzeiro mandava no jogo até os 35 minutos de jogo até o Palmeiras tentar achar forças do além para conseguir algum ponto no jogo. Mas foi o que quase aconteceu (tirando a parte do ponto). Eles começaram a forçar nossa marcação, o Lucas Silva ficou nervoso, o time ficou nervoso, mas ainda tinha cabeça no lugar e um goleiro pra segurar a vitória. De um primeiro tempo maravilhoso, terminou o jogo num cansaço físico e mental anormal, porém mais 3 pontos.

Cruzeiro 1×0 Figueirense

Olha bem...

Olha bem…

Esse jogo foi o suprassumo do melhor futebol da galáxia, mas o primeiro tempo terminou com um triste 1×0. Talvez chuva e um dia frio seja só bom para ler um livro, não pro futebol (mentira). O Cruzeiro, mais uma vez, era displicente nos passes e nas finalizações. O Figueirense chegava até com mais perigo que o Cruzeiro e foi um primeiro tempo ruim demais. Talvez por causa da chuva, na verdade nem “talvez”, porque acho que ela é até ré confessa.

Deu sono e naquele Mineirão frio eu queria mais uma cama que um tropeiro. Um pênalti que ainda não sei se foi ou não, que, na dúvida, o árbitro marcou (Um relato da minha vida: já sofri um pequeno deslocamento enquanto corria que me rendeu 3 cicatrizes… qualquer coisa em movimento sem apoio necessário que sofra um pequeno empurrãozinho, as vezes é grave, ok?) nos deu um gol que o Lucas Silva (?) bateu de uma forma maravilhosa (que não faça novamente, obrigada).

Parou de chover no segundo tempo e vimos o time mais lindo dos últimos séculos jogando bola e metendo mais 4 gols.

Botafogo 1×0 Cruzeiro

Bate mais que foi pouco

Bate mais que foi pouco

O Botafogo vinha de uma derrota pro derrotado Flamengo. É uma vergonha perder pro Flamengo no cenário atual. Ainda com 5 meses de salário atrasado do Botafogo, dava toda pompa que o Cruzeiro era favorito. Mas o Cruzeiro é favorito contra 19 times da série A brasileira desde o ano passado e, talvez por isso, é bem mais estudado e uma vitória sobre o time celeste significa que “sou o foda da rodada”.

O Cruzeiro é mais visado, é mais estudado, mais caçado e sofre mais com as marcações. Mas não pode ter dó dele mesmo, então – tá aprendendo – que tem que jogar fora como joga em casa. O Cruzeiro chegou mais vezes, pressionou mais vezes, teve maior posse de bola, mas algumas vezes esteve displicente, errou passes e finalizações. O gol do adversário veio num escorregão do goleiro. E assim, se foi o primeiro tempo de derrota para o Cruzeiro.

Acontece, pois tem um time do outro ladoTM.

As mesmas substituições feitas contra o Figueirense, foram feitas contra o Botafogo, tirando o Henrique que saiu por lesão, mas que não interferiu no esquema.

O Cruzeiro jogou como vinha jogando os outros jogos. Talvez se o Jefferson não tivesse defendido tanto, se a velocidade do vento ajudasse que a bola desviasse da trave e fosse pro gol… mas acontece.

Muitos fizeram uma tempestade por causa desse resultado, mas gente, do fundo do meu coração: acontece.

O Cruzeiro jogou exatamente da mesma forma que nos outros jogos. Vocês apenas esqueceram como foi o jogo e viram só o resultado, é o que eu acho. Quis falar do primeiro tempo apenas pra ser um pouco mais específica sobre o que é o futebol.

Se for parar pra pensar, trocar passes no meio e chegar lá na frente nos dá duas possibilidades: o gol ou não. O Ricardo Goulart que erra gol a um metro da linha, faz um antes do meio campo.

Não teremos jogos fáceis. Pontos corridos premia a regularidade. Nem todos os chutes vão na direção do gol, nem todos os passes são certos, é muito difícil acertar tudo por 90 minutos e nem todos os títulos são nossos (QUERO NEM SABER, QUE É PRA SER SIM!). Não é um “vale derrota”, é um “vale que sei que tentou ganhar e na próxima você pode ganhar”, que nosso time é bom mesmo (ou precisa provar ainda?). Ser perfeito seria ótimo se não fosse impossível.

Então… acontece!

Luciana Bois

*Fotos do Superesportes

 

Luciana Bois

★★★★ Uma maria que possui a estranha mania de ter fé na vida. ;D
  • Nosso time é muito regular, muito. Quando vejo o quanto sofremos em 2011, olho para ano passado e para este ano e só dou sorrisos.