Cruzeiro 3 x 0 Santos – De volta

Tempo de leitura: 5 minutos

cruzeiro-santos-ricardo-goulart-marcelo-moreno-uma-cerveja-por-favor

Olá amigos!

Estou de volta, após uma semana de férias forçadas do blog. O juiz da partida contra o Criciúma me deixou meio bravo e não estava com muita vontade de escrever sobre futebol. Mas o Cruzeiro tratou de me trazer de volta para cá com uma bela vitória sobre o Santos. E com ela, a equipe está de volta à liderança do Brasileirão. O Internacional, que deu uma de Cruzeiro e está vencendo todo mundo, havia pegado a dianteira do campeonato emprestado por algumas horas, mas Júlio Baptista (que também voltou) e cia trataram de colocar a equipe gaúcha em seu devido lugar.

Os nossos dois empates podem parecer ruins agora que o Inter encostou, mas se você olhar bem, eles só chegaram perto porque venceram TODOS os últimos cinco jogos. É uma campanha absurda, pra ser campeão com tranquilidade. E mesmo assim, com 15 pontos conquistados em 15 disputados, eles ainda estão atrás da gente. É só olhar para o Corinthians, que vem fazendo uma boa campanha, e ver que a diferença de 5 pontos se manteve. E se você parar pra pensar, deveríamos ter vencido o Criciúma, mas não quero entrar nesse mérito de arbitragem. O que eu quero dizer é ESTÁ TUDO BEM AGORA.

Ontem o Cruzeiro jogou muito. Dominou a partida desde o começo, tocando muito bem a bola, achando espaços e criando muitas chances de gol. E chegou ao primeiro numa jogada meio estranha, que Marcelo Moreno cabeceou fraco para o gol, após bela cobrança de falta de Éverton Ribeiro. Ricardo Goulart, impedido, tentou sem sucesso encostar na bola e o movimento, em minha opinião, enganou Aranha, que acabou falhando. Antigamente isso era impedimento, mas com a nova regra – aplicada no ano passado – a CBF encorajou a arbitragem a não anular esse tipo de lance. Apesar de ainda achar que isso é impedimento, se a regra mudou está tudo certo, foi gol legal. Mas é meio estranho. Imagina se os jogadores começam a abusar dessa nova regra e passam a ficar na frente do goleiro em tudo quanto é jogada só pra atrapalhar. Seria uma confusão só.

Enfim, depois do gol o Cruzeiro parou de pressionar e tentou administrar a partida. O Santos começou a ter mais a bola e cresceu. Teve até duas chances claras de empatar a partida, mas graças a deus eles tinham Damião e Thiago Ribeiro no ataque, ou seja, zero chance de acertar o gol. E nós estávamos com Léo e Dedé em dia inspirado. Nada passava.

Tem sempre uma discussão entre os torcedores do Cruzeiro quando a equipe se retrai após um gol, quando param de pressionar na frente após abrir o placar. Eu também não gosto, acho que o time tem que atacar o tempo todo, fazer dez gols no primeiro tempo e não deixar o adversário tocar na bola. Mas sei que isso é impossível. Os jogadores se cansam, não dá pra pressionar o tempo todo. E acho que o momento propício para essa “administração do cansaço” é exatamente quando marcamos um gol. O adversário vai partir pra cima, eles precisam empatar o jogo, então uma postura mais defensiva é necessária. E nosso time é muito bom em fazer gols de contra-ataque. Apesar disso tudo que disse, ainda acho que o Cruzeiro abusa um pouco dessa “administração” e, ao invés de fechar espaços e ser mortal no contra-ataque, tocamos demais a bola sem objetividade e acabamos dando espaços para o adversário. Se o Thiago Ribeiro não fosse horrível nas finalizações, sairíamos do primeiro tempo com um empate.

"é impossível fazer esse negócio de gol não sei como vocês conseguem"

“é impossível fazer esse negócio de gol não sei como vocês conseguem”

Parece que o Marcelo Oliveira deu um puxão de orelha no pessoal no intervalo, todo mundo bebeu um todinho, se alimentou bem, descansou um pouquinho, porque voltamos maravilhosos para o segundo tempo. Já no início, Egídio e William combinaram muito bem na esquerda e deixaram a bola para Goulart, que meteu um dedão para fazer o segundo gol e deixar nossa equipe tranquila na partida. O Santos foi para cima, e ainda teve uma chance de gol com Thiago Ribeiro que Fábio defendeu maravilhosamente. No final, Éverton Ribeiro recuperou uma bola atrás do meio campo, levou até a intermediária e rolou para Júlio Baptista, que com um pequeno toque tirou o marcador e fez um belo gol.

Marcelo Oliveira analisou o jogo pra gente:

Foi ótimo, um jogo extremamente difícil. Sabíamos disso e até esperávamos que o Santos chegasse desgastado. Eles diminuíram o ritmo no segundo tempo. Fizeram um belo jogo, e o Cruzeiro também. Conseguimos a vitória que era fundamental para retomarmos a ponta da tabela e mantermos o bom aproveitamento em casa. Ainda mais da forma que foi, empurrado pela torcida. Envolvente. O adversário tinha Robinho, Lucas Lima, Thiago Ribeiro e deu muito trabalho aos laterais, mas o Cruzeiro resistiu bem.

É isso. O time deles foi ótimo, atacou bem, teve suas chances. Mas o Cruzeiro segurou tudo muito bem e conseguiu fazer seus gols pra levar os três pontos. E jogando um futebol de alto nível.

Além disso, nosso técnico explicou as boas alterações:

A saída do Mayke foi por causa do cartão amarelo. E o Marcelo Moreno estava gripado, bem desgastado. No intervalo combinamos de ele jogar mais 10 minutos. Depois saiu o Ricardo Goulart, sentiu a coxa, mas todos deram conta do recado e tivemos um bom jogo. Trabalhamos bem e conscientizamos os jogadores que era bom trabalhar forte. Agora vem uma sequência difícil. Tem o lado bom que podemos trocar os jogadores pelo desgaste. O Cruzeiro está com time desgastado, então é fundamental que a gente consiga uma nova vitória agora, para continuarmos nossa caminhada em busca do nosso objetivo.

Agora começam os jogos no meio de semana e o elenco será testado. Temos time pra lidar com essa maratona muito bem. Mas fiquei preocupado com a situação do Goulart. Ainda não vi nada sobre sua lesão, mas tomara que não seja nada, pois é nosso melhor jogador hoje em dia. Já estou chorando aqui.

Para finalizar, hoje é dia de sorteio das oitavas de final da Copa do Brasil. Podemos enfrentar Santos, Palmeiras, Coritiba, Ceará, América-RN, ABC-RN, Santa Rita-AL e Bragantino (acho, não li direito as regras). Podíamos dar sorte e enfrentar um time pequeno, tipo o Palmeiras. Não quero enfrentar o Bragantino, nem o América de Natal, pois eles estão com cara de zebras campeões. Mas não vi nenhum adversário muito forte. São oito jogos e estou bastante confiante para esse título.

Até amanhã.

  • Olha, o Robinho deve estar sonhando com os nossos jogadores, porque eles o marcaram muito bem. Em geral, gostei muito da postura do nosso time. Teve hora que passamos uns sustinhos, mas faz parte, não deveria, mas faz parte.