Presente e o pretérito, mais que perfeito

Tempo de leitura: 2 minutos
5

Palmas, palmas! 😀 | Foto: Pedro Vilela

Domingo será um dia que amanhecerá com a certeza de sorrisos ao fim da noite. Não importa nenhum detalhe técnico a mais. Vale a festa.

A festa em agradecimento ao Fábio, ao Everton, ao Goulart, ao Henrique e a todos que honraram esse manto azul estrelado que está no pódio, no lugar mais alto que se pode alcançar. É tetra!

É tetra de uma história construída em imagens sem cor, com cores, sem HD e com HD.

Uma festa completa, que será refletida lá em Coritiba também. Não seria tetra sem ele, não seria 4 vezes, porque ele fez o mundo se curvar à esse escudo estrelado na segunda vez. Ele diz que era um grupo fantástico, que não seria nada sem ninguém. Mas que na verdade, não sei o que seriam sem ele.

4

Foto: superesportes

Domingo fará exatamente 11 anos que um gol de cobertura com a bola dominada de costas e uma giradinha a qual calou a voz dos céticos que diziam “só falta uma, a amarelinha…” e desprezavam a história de Tostão e Cia. E o dono desse gol, que escreveu a arte com chapéus de luxo e letras de curso de caligrafia, aposentará suas chuteiras. Mas lembrou-se de antes escrever esse domingo para nossa história como uma festa de gala. Levantaremos um troféu que um dia ele carregou com nossas cinco estrelas no peito.

Um amigo me disse “a grande diferença de 2003 é que queríamos além de ganhar, deixar marcas”. E deixaram, de 2003 a 2014. Ele deixou, todos deixaram. Me desculpe Alex, mas vou compartilhar o que você um dia me disse sobre um SIMPLES gol de letra numa FINAL de Copa do Brasil no Maracanã:

Tudo isso é mole, Lu…

O difícil é ser campeão mineiro e artilheiro

Fazer 24 gols no brasileirão e ser campeão com mais de 100 gols e 100 pontos

Golear o São Paulo no Morumbi…

Passar um ano inteiro sem sustos….

Encantar um país todo com uns moleques formados na base…

O gol de letra é um detalhe…..

Mole, não?

No domingo presenciaremos uma festa no encontro do pretérito com um presente mais que perfeito. Não estaremos na sua despedida, mas você estará em nosso grito na arquibancada. Não se ganha quatro títulos a toa. Não, não é “mole”, nem “um detalhe”, nisso, tio, você está errado. É história de um grande clube da cidade, do país, do mundo!

Muito obrigada, ao passado e ao presente. Pelo passado e pelo presente.

Vou festejar, V O U  F E S T E J A R!

"♪ o mel dos dibre tem o gosto do amor ♪"

“♪ o mel dos dibre tem o gosto do amor ♪”

**Obs.: Agora você terá que vir assistir a Libertadores na arquibancada com a gente e, pode deixar, que muita gente paga a cerveja lá fora pra você.

Luciana Bois

Luciana Bois

★★★★ Uma maria que possui a estranha mania de ter fé na vida. ;D
  • Ah cara, Alex e Sorin são meus ídolos. Quando Alex foi substituído no jogo e ele chorando abraçou a família, chorei também. Um dos maiores camisa 10 de ofício pendurando as chuteiras. A nós, e outras torcidas, resta a gratidão pela lealdade e profissionalismo que teve conosco. Em sua palavras “Muito obrigada, ao passado e ao presente. Pelo passado e pelo presente.”