Estamos bem de atacantes com Joel e Damião?

Tempo de leitura: 5 minutos

joel-cruzeiro-uma-cerveja-por-favor

Olá amigos!

Como escrevi o post de ontem bem tarde, acompanhando a notícia iminente da venda de E-gí-dios para o Dnipro da Ucrânia, não tem nada de novo para comentar por aqui. Se você perdeu o último post, clique aqui para ler.

Hoje eu fiquei a fim de falar sobre os atacantes cruzeirenses.

Desde Kléber “El Gladiator” o Cruzeiro não tem um atacante/centroavante de renome (venha comigo e relembre que – para a época – Kléber era de renome). Um cara que segura a onda, em quem você confie para marcar aqueles gols complicados que ganham jogos (exceto em finais de libertadores). Após Kléber, o Cruzeiro tentou diversos jogadores que até ajudaram bastante, mas nenhum que marcou em sua passagem. Os melhores deles foram Borges, que estava com uma idade avançada e acabou passando muito tempo machucado, e Marcelo Moreno, que ficou emprestado por um ano e teve que voltar ao Grêmio. Mas nem eles conseguiram um desempenho de “super camisa 9” que vem sendo cobrado pela torcida.

Para 2015 o Cruzeiro trouxe Joel, melhor conhecido como Sajoel Eto’o, um camaronês esperto (talvez não tão esperto assim, pois pulou diretamente num túnel ao comemorar um gol) de 21 anos que acabou de surgir para o futebol. Toda vez que eu via esse rapaz jogar achava que o Cruzeiro devia contratá-lo. Foi mais uma das apostas de Marcelo Oliveira, e pelos exemplos de jogadores que ele trouxe ultimamente, fico bastante esperançoso sobre seu desenvolvimento por aqui.

Nosso técnico falou um pouco sobre essa contratação em entrevista à rádio Itatiaia:

“O Joel é uma aposta importante porque fez um ano muito bom no Coritiba, mostrou ser um jogador de boa mobilidade, que sabe fazer gols. É um jogador jovem, que vem com os olhos brilhando, que vem querendo mostrar, trabalhar e tem grandes chances de crescer dentro do Cruzeiro”

Parece mais um caso de jovem que vem pra crescer e se firmar na equipe, como Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart. E se tem o aval do técnico, está com meio caminho andado pra dar certo. O único problema que vejo nessa contratação é que brasileiro é um povo doido, e brasileiro envolvido com futebol é mais doido ainda. Primeiro eles acham todos os estrangeiros melhores que brasileiros. “Ah, não tem lateral? Busca o Pablito Henriquez do Cololobra de Aranguiz del Sul, esse joga demais”. Só que com o primeiro passe errado do rapaz tudo muda. “Nossa, olha esse gringo horrível que o Cruzeiro contratou! A base cheia de ótimas promessas para a posição e os caras aí dando oportunidade para hermano perna-de-pau”. Isso acontece toda vez. Não falha.

Fico com medo de acontecer algo parecido com Joel. O rapaz tem 21 anos. Vai perder gol demais, é garantido (apesar de que os números dele mostram uma boa finalização – Joel fez um gol a cada 4,75 chutes a gol no Brasileirão). Pra torcida entrar na onda que ele é ruim após três jogos perdendo gol não custa muito. Ainda mais que o terrível fantasma do Fred ainda está pairando por aqui – o que chega a ser incompreensível em PLENO 2015. Sério gente, 2015, ano novo vida nova, esquece esse cara.

Se Joel passar por cima dessa desconfiança e, principalmente, NÃO ERRAR MIL GOLS, pode ter uma excelente carreira no Cruzeiro.

não vai na bola tenta no hadouken

não vai na bola tenta no hadouken

Já Leandro Damião, o rapaz da lambreta, tem um cenário diferente a sua frente. Ele surgiu no Inter como o salvador da lavoura para centroavantes brasileiros. Não sei se você notou mas hoje em dia não temos quase nenhum grande centroavante no Brasil. Por isso até mesmo o Cruzeiro, Bicampeão Brasileiro, não consegue ter um excelente camisa 9 na equipe. Não tem ninguém. E Damião, marcando mil gols em 2011 (na verdade foram 38 gols em 51 jogos), pareceu o Jesus da centroavância. O jogador que voltou para nos libertar de pernas-de-pau.

Mas, como toda grande biografia, o herói tem que passar por alguns percalços. E Damião passou por alguns problemas. Em 2012, após uma lesão no final de 2011, não conseguiu continuar com seu incrível ritmo de gols mas ainda foi bem, marcando 24 em 43 partidas. Já em 2013 ele atingiu o fundo do poço. Se Damião fosse um astro do rock, ele teria tido uma overdose de alguma droga e perdido sua mulher. No futebol, ele se lesionou e perdeu a vaga na seleção brasileira para Jô. Pessoalmente, acho que é melhor ter uma overdose do que perder vaga de qualquer coisa para o Jô. E assim, seu futebol foi para o ralo. Marcou apenas 13 gols em 48 jogos nesse ano e foi vendido para o Santos.

No time paulista, ele chegou cheio de banca por ter sido contratado por um valor absurdo, mas não conseguiu corresponder à expectativa. Aliado a um time ruim e a pressão da revelação Gabigol no seu cangote, Damião marcou apenas 11 gols em 44 jogos e acabou a temporada – merecidamente – no banco de reservas. Peguei todos esses belos números no ótimo Futdados.

Com essa história em mente podemos tentar adivinhar, sem sucesso, seu futuro em nosso clube. Ele pode, como Marcelo Moreno (que teve carreira parecida), voltar a jogar bem, já que tem Éverton Ribeiro, Mayke, Goulart, Willian, etc para dar tudo quanto é tipo de assistência. E ele também SABE jogar bola, só não está conseguindo. Mas pode também continuar com a má fase, não conseguir se firmar, perder espaço para Joel e se tornar mais um jogador caro no banco de reservas. É uma aposta, uma boa aposta, mas não chega para solucionar o eterno problema do “camisa 9 mágico melhor que o Fred” que nós temos por aqui. Ainda mais porque se ele der certo, fazer vários gols, ser um grande artilheiro, vai voltar para o Santos ou ser vendido para a Europa. É impossível que o Cruzeiro consiga pagar para tê-lo em definitivo.

Resumindo, temos duas boas apostas que podem contribuir bastante para a equipe em 2014. Mas como toda aposta, pode também dar errado, e acabarmos o ano sem nenhum centroavante definido, tendo que improvisar Júlio Baptista ou Goulart na posição. Não é o fim do mundo, mas também não é a situação ideal. Se fosse para apostar dinheiro, colocaria 50 reais em Joel dando certo e Damião sendo irregular e voltando desprestigiado para o Santos no fim do ano.

Até amanhã.

  • Joel e Damião não são da mesma posição. Joel joga pelo lado do campo, pela direita (pelo menos no Coritiba foi assim), e só eventualmente ficava como centroavante no 4-4-1-1 que o Marquinhos Santos usava pra proteger o resultado favorável e sair em contras. Damião é um nove mais clássico, mais trombador.

    Discordo dessa cobrança da torcida de pedir desempenho de Cristiano Ronaldo dos nossos centroavantes. No Cruzeiro 2013/2014, criação e finalização são tarefas COLETIVAS e não individuais. Era responsabilidade de Moreno fazer os gols? Sim, mas Goulart também fazia, por exemplo. A tabela de artilharia do BR’14 prova isso.

    Então é preciso entender como funciona o Cruzeiro pra poder cobrar. Joel NÃO é reserva do Damião, apesar de poder ser usado na função em uma situação específica. Damião deverá ter muito mais funções além de fazer gols, é o natural: e se cumprir bem todas as outras e só ser razoável na marcação de gols, será como Moreno este ano.

    Minhas opiniões sobre os contratados estão aqui: http://constelacoes.candian.com.br/2014/12/contratacoes-2015-funcoes-taticas-e-encaixes/

    • mikerenzetti

      Acho que o Joel pode vir a ser um ótimo centroavante. Ele é muito novo, e como é rápido e o Coritiba não tinha muitos recursos, jogava pelos lados. Mas o Cruzeiro não precisa dele nessa posição, precisa de um centroavante. Acho que o Marcelo vai colocá-lo ali.

      Quando a situação da torcida querer um super centroavante, pra mim é muito claro. Tanto que os caras sonham com o Fred até hoje. Concordo com você que o Cruzeiro de hoje não precisa de um cara que faça mil gols por jogo, que joga melhor coletivamente, mas isso não impede a torcida de sonhar com o Fred a cada janela de transferências que se abre.

      • Sim, Joel pode ser um ótimo centroavante, não há dúvidas. O que eu quis dizer é que ele é um jogador muito diferente de Damião. É mais veloz, driblador e insinuante, a la Élber (por isso imagino ele como ponteiro). Já Damião é mais forte, brigador, bom jogo aéreo. Um nove mais clássico. Mas terá que fazer além dessa função se quiser ser titular. Moreno era mais que um centroavante.

        Sobre a cobrança da torcida, bem, é o que eu falei no Twitter. Torcedor de maneira geral, muito por culpa da imprensa, só consegue enxergar futebol de um jeito. E nesse caso, um bom centroavante é o que faz gols e só. Marcação alta, intensidade sem a bola para abrir espaços, recuo para o meio para marcar o primeiro passe, ninguém repara. É cultural do brasileiro isso.

  • Excelente texto nem parece do Mikerenzetti. kkkkkkkkkkkkk Brincadeira.