Segunda chance para Anselmo Ramon e Rodrigo Souza; Marcelo Oliveira e a Libertadores

Tempo de leitura: 4 minutos
ramonstro/ramito

ramonstro/ramito

Olá amigos!

Para a felicidade geral da nação cruzeirense, ao que parece, vamos dar uma segunda chance para Anselmo Ramon em nossa equipe. Quem me conhece sabe que gosto do futebol de Anselmo desde que ele não chute a bola para o gol. “Mas um centroavante não deve ser bom em chutar para o gol, senhor Michael?”. Sim, educado leitor. Acho que um centroavante pode fazer muito mais do que só empurrar a bola para o gol (apesar de que um time que se preza precisa ter um matador em sua equipe). O que eu mais gostava em Borges não era sua finalização e sim o jeito que ele chamava o restante da equipe para participar das jogadas ofensivas. Ele normalmente jogava de costas para o gol, sempre aparecendo entre os zagueiros para tramar tabelas com os jogadores que vinham de trás. Assim, Dagoberto, Willian, Éverton Ribeiro e Goulart chegavam sempre dentro da grande área livres para marcar. Foi o grande trunfo do Cruzeiro de 2013.

Já em 2014, com a lesão de Borges, o time perdeu muito dessa característica e abusou de cruzamentos para a área, utilizando muito bem a altura de Marcelo Moreno. O time dependeu muito também de Goulart, que fez uma temporada maravilhosa, arrumando gol de tudo quanto é jeito. Veja bem, não estou reclamando, pode continuar exatamente desse jeito porque estamos ganhando títulos. Mas eu prefiro o estilo de futebol de 2013.

O resumo dessa obra é que vejo em Anselmo Ramon essas mesmas características de conseguir fazer o time jogar mais pelo chão e chamar os meias para dentro da área. Acho que ele é até melhor que Borges para segurar a bola de costas para o gol. O único problema é que ele é meio destrambelhado e tem aquele detalhe de não conseguir chutar a bola direito para o gol. Mas ele é um rapaz novo, precisa de experiência e confiança em seu futebol. Estou torcendo para que Anselmo aproveite bem essa segunda chance. Se ele fizer o tipo de gol que vinha fazendo na China, vai se dar bem:

"sim eu gosto muito de pepsi, por que a pergunta?"

“sim eu gosto muito de pepsi, por que a pergunta?”

Outro jogador que está voltando e deve ser aproveitado em 2015 é Rodrigo Souza. O volante, que começou muito bem em 2014, mostrando muita força física e marcação, caiu no conceito de Marcelo Oliveira rapidamente após atuação ruim na Libertadores. Foi emprestado ao Criciúma e ficou por lá pelo restante da temporada. Ele fala sobre ter sido reintegrado ao grupo:

Fiquei sabendo ontem (quarta-feira) à tarde. Estava no Rio, em casa, treinando, quando soube da notícia. Até então, estava esperando uma outra proposta. Graças a Deus não deu certo o que estavam procurando e me reintegraram. Estou muito feliz.

Rodrigo Souza demonstrou todo seu potencial numa partida contra o Atlético Mineiro pelo campeonato estadual, depois disso ganhou lugar na equipe, que estava sem a maioria de seus volantes titulares por conta de lesões.

Aquele clássico foi o divisor de águas. Ate então, tinha jogado um jogo só. Aquele jogo contra o Atlético-MG no Independência foi muito importante. Fui muito feliz de fazer uma boa partida, infelizmente não ganhamos. Mas aquele jogo com certeza está na minha memória. Tenho numa foto em casa minha marcando o Ronaldinho.

Após essa partida ele foi titular da equipe por algumas partidas, mas tudo caiu por terra na péssima atuação de Rodrigo e de toda a equipe do Cruzeiro contra o Defensor, na Libertadores.

Com certeza. Depois daquele jogo fiquei triste, não consegui dormir. Sabia que depois daquele jogo tudo ia mudar. Futebol a gente sabe que é momento, e aquele momento meu não foi bom.

Acho que Marcelo Oliveira foi muito injusto com Rodrigo Souza. Ele jogou tão pouco para ir do céu ao inferno desse jeito. No final de 2013 o rapaz ainda jogava a série B, esperar entrosamento e um futebol de encher os olhos logo de cara é exagerado. Para mim, ele deveria ter ficado e entrado aos poucos na equipe, não mandado embora após um jogo ruim. Tomara que ele consiga aproveitar essa segunda chance e se firmar no Cruzeiro.

Em outras notícias, Marcelo Oliveira afirmou que o Cruzeiro está maduro o suficiente para disputar e ganhar a Libertadores em 2015. No final do ano passado ele havia dito que o Cruzeiro precisava contratar jogadores com “perfil de liderança” para vencer o torneio. Ninguém com esse perfil foi contratado e, na verdade, jogadores mais experientes, que poderiam exercer essa liderança (Borges e Dagoberto) foram liberados. Vai entender. Ele disse:

“Temos um bom elenco e estamos confiantes que podemos fazer mais um grande ano. O Cruzeiro é uma equipe de muita tradição e com muitas glórias, que sempre entra nas competições com o objetivo de ser campeão. Estamos muito concentrados e preparados para esta Libertadores, já temos um grupo que trabalha junto há dois anos e que está mais maduro para disputá-la”

Apesar do desencontro nos discursos do Marcelo Oliveira, eu concordo que o time de hoje é bom o suficiente para disputar bem a Libertadores. Não acho que precisamos de perfis diferentes de jogadores. Esse elenco é bicampeão brasileiro, é finalista de Copa do Brasil, já disputou Libertadores. Mesmo cheio de jovens, esse time do Cruzeiro tem bastante experiência em disputar lá no topo e minha expectativa é que tragam esse título continental em 2015.

Até amanhã.