De Arrascaeta pode ser o substituto à altura de Goulart

Tempo de leitura: 4 minutos

de-arrascaeta-cruzeiro-uruguai-contratado-uma-cerveja-por-favor

Olá amigos!

O Cruzeiro deu um chapéu duplo no Internacional e contratou o uruguaio De Arrascaeta ao maior estilo… De Arrascaeta. Lembra?

Pois é. Mais um daqueles jogadores que destroem um time brasileiro que é contratado pelo próprio time brasileiro destruído. É tão clichê de times brasileiros que nem fico impressionado mais. O amigo Zica Neve fez um belo levantamento de jogadores que foram bem contra o Cruzeiro (ou outro brasileiro na Libertadores) e logo após foram contratados por nossa equipe.

Victorino – Jogador de seleção uruguaia, de Copa do Mundo, titular da grande equipe da Universidade do Chile. Veio para o Cruzeiro e conseguiu ficar mais tempo machucado que qualquer outra coisa.

Guerrón – Destruiu o Fluminense na Libertadores de 2008 jogando pela LDU. Veio para cá e fez apenas 19 jogos e 3 gols.

Martinuccio – Foi contratado pelo Fluminense após boa temporada pelo Peñarol. Fez 14 jogos e 1 gol. Foi emprestado para o Villareal e voltou para o Cruzeiro. Fez 18 jogos e 4 gols.

Samúdio – Importante jogador do Libertad, multicampeão nacional, fez boa Libertadores e até gol contra o Fluminense (acho). No Cruzeiro fez temporada razoável (pra não dizer algo pior).

Farías – “El tecla” Farías era um grande centroavante que havia se destacado no River Plate, marcando 49 gols em 95 jogos e ficado encostado no Porto mesmo marcando 34 gols em 82 jogos (uma marca razoável). No Cruzeiro ele pouco jogou, mas tem até bons números. São 8 gols em 19 jogos. Pegou uma fase ruim da equipe.

Montillo – Conhecido mundialmente por ter feito um gol de encobridinha no Flamengo, veio para o Cruzeiro e matou a pau. 122 jogos, 36 gols, diversas assistências e quase levou a equipe a títulos nos anos em que esteve aqui. Precisava de um time melhor a sua volta. Apesar disso, teve uma saída ridícula do Cruzeiro, pedindo pra ser negociado, fazendo pirraça e meio que apagando a história positiva que teve na equipe. Foi quase um ídolo.

Tivemos também Prediguer e Ortigoza, mas não quero falar mais sobre isso. É terrível só de lembrar.

De Arrascaeta tem muitos exemplos negativos e poucos positivos de estrangeiros que deram certo aqui nos últimos anos. Claro, se formos um pouquinho mais para trás temos outras excelentes histórias de jogadores como Sorín, Aristizábal, Maldonado… e se formos mais para trás ainda temos Perfumo, Revetria, Carazo… Exemplo positivo tem, só não é muito atual (tirando o Montillo).

Mas, analisando o momento do Cruzeiro – bicampeão brasileiro, com um time bem formado, ótimas peças, excelente treinador – acho que De Arrascaeta tem muita chance de dar certo por aqui. Além disso, seus números pelo Defensor (surrupiados novamente do Futdados) mostram muita qualidade e regularidade. Desde que estreou em 2012 (lembrando que é um garoto de 20 anos), ele tem 18 gols e 17 assistências em 65 jogos da equipe. Ou seja, contribuiu para gols em mais da metade dos jogos em que participou. Além disso, é um jogador que fica pouco de fora da equipe. Como disse anteriormente, ele fez 65 jogos pela equipe, que disputou 90 partidas. E vale lembrar que em 2012 De Arrascaeta tinha 17 anos, estava apenas começando a jogar e não poderia ser titular de uma vez.

"quarta-feira não terá mais, nunca mais"

“quarta-feira não terá mais, nunca mais”

Os números de Goulart são melhores, sem dúvidas. 34 gols em 99 jogos, presença em quase todas as partidas da equipe enquanto esteve aqui (só não jogou tudo porque foi convocado, poupado e erroneamente colocado no banco pelo Marcelo Oliveira em plena Libertadores) e o gol mais incrível do mundo numa cabeçada com efeito contra o Internacional.

Os dois jogadores tem características diferentes. Goulart entra mais na área, se posiciona como um centroavante, tem muita explosão física. Não é um assistente, um passador. Não para o jogo e organiza a equipe. Ele dava velocidade e força à equipe. Levava o time pra frente. E ainda marcava muito.

De Arrascaeta também é rápido, olhem seus chapéus. É um menino ligeiro. Mas é um passador, carrega a bola, organiza o jogo. Não entra muito na área, faz menos gols. É mais focado em deixar seus companheiros em condições de marcar. Um diez mais clássico.

Vai mudar um pouco o estilo de jogo do Cruzeiro. A equipe vai ter menos força ofensiva, presença de área e altura pelo meio, mas terá muito mais criatividade e assistências para os atacantes. É uma troca interessante, desde que o uruguaio mostre todo o futebol que esperamos dele.

Eu aposto que ele vai funcionar muito bem e será um dos grandes jogadores do futebol brasileiro nos próximos anos. Mas agora estou com medo de que essa frase vai zicá-lo e teremos outro Victorino. Bate na madeira três vezes.

Até amanhã.

  • Túlio

    Fernando Carazo era espanhol, portanto seu nome não tem dois “Zs” . XD

    • mikerenzetti

      Alterado. Valeu!