Sobre Fase, Entrosamento, Gabriel Xavier, Marcos Vinícius e De Arrascaeta

Tempo de leitura: 6 minutos
"Tchau gente vou ali dar certo enquanto vocês aí atrás falham ok?"

“Tchau gente vou ali dar certo enquanto vocês aí atrás falham ok?”

Está tudo tão estranho……

O Cruzeiro não joga bem em 2015. Chega a ser até “normal” (entre muitas aspas), pois são muitas mudanças no elenco. Vendemos – numa tacada só – Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart, Lucas Silva, Egídio e Nílton. Alguns jogadores importantes para os títulos nos últimos anos também nos deixaram, como Dagoberto e Borges. Perdemos também Dedé para uma lesão, Willian meio baleado desde o final de 2014, Manoel voltando de contusão, Bruno Rodrigo idem, Ceará também, enfim, muitos problemas.

Além disso, contratamos alguns jogadores para posições-chaves da equipe no início do ano. Leandro Damião chegou desacreditado para o lugar de Marcelo Moreno, De Arrascaeta veio com a missão de resgatar toda a criatividade que a equipe perdeu com a saída de Éverton Ribeiro, Willians chegou para ser aquele primeiro volante forte e marcador que Marcelo Oliveira parece querer há bastante tempo, Mena veio como boa alternativa defensiva na lateral-esquerda e Paulo André apareceu para desfrutar de passeios culturais por Belo Horizonte e cobrir nossos zagueiros lesionados.

Apesar de três dos cinco reforços estarem jogando bem (Mena, Damião e Paulo André), De Arrascaeta não conseguiu se encontrar na equipe e Willians chegou por último e está lesionado. A equipe ainda não conseguiu se entrosar.

Com todo mundo 100% eu espero que a escalação do Cruzeiro seja:

Fábio, Mayke, Dedé, Paulo André e Mena; Willians e Henrique; De Arrascaeta, Willian e Alisson; Leandro Damião.

Essa escalação não jogou nenhum jogo até agora. E mesmo tirando Dedé, que só volta após o meio da temporada, e o substituindo por Léo (que está sendo o titular por enquanto), a escalação continua sem disputar uma partidinha sequer durante toda a temporada. Acho que quando essa equipe se entrosar e jogar muitas partidas como um conjunto, o Cruzeiro vai estar lá em cima como uma das melhores do país. Pode voltar para me cobrar depois, seguindo a tendência twittica.

MAS……

Não era pra estar tão ruim. Bom, não é que está tão horrível assim, a gente exagera demais. O time é bom, faz partidas seguras, quase não leva gol e há pouco tempo estava invicta na temporada. Mas não está com o alto nível a que nos acostumamos nos últimos dois anos e nem o nível que esperamos desses jogadores. Era pra estar melhor. O time tinha que ter se entrosado, pelo menos um pouco mais. Alguns jogadores que foram bem em 2013 e 2014 estão jogando abaixo (estou olhando para vocês Mayke e Henrique). Já estamos em abril e não consigo ver uma evolução clara em alguns setores problemáticos da equipe, como o meio-campo. Ou a saída de bola.

Mas esse texto não é para cornetar o Cruzeiro, apesar de parecer, é apenas para tentar entender o que está acontecendo. E discutir todo esse clamor popular para mudanças no time, para as entradas de Gabriel Xavier e Marcos Vinícius, além da alteração de posicionamento do De Arrascaeta. Como Jack, o estripador, vamos por partes (bela piada).

"observando vocês querendo me mudar de posição"

“observando vocês querendo me mudar de posição”

De Arrascaeta:

O jovem armador uruguaio tem nove partidas e dois gols pela equipe celeste, Além de três assistências. O que é um desempenho bom para um jogador no início de carreira, jogando fora de seu país pela primeira vez. Se você parar pra pensar, ele está envolvido em cinco gols nos seus nove jogos. Mas são apenas nove jogos. Será que já dá pra julgar tanto o desempenho de um jogador de 20 anos, que se transferiu para um país diferente do seu e está começando a se adaptar? Acho muito cedo para qualquer tipo de veredicto.

Uma coisa que a torcida colocou na cabeça é que De Arrascaeta tem que jogar pelo lado do campo, para fazer a posição do Éverton Ribeiro. Que jogando pelo meio ele não vai dar certo, que jogou assim pelo Defensor, etc. Até acho que seria interessante ver isso, mas acho que o Cruzeiro não tem nenhum jogador para jogar pelo meio (pelo menos por enquanto – vou falar disso mais abaixo) e De Arrascaeta é o que melhor se encaixa na posição. Colocá-lo na ponta para testar jogadores jovens ou diferentes no meio me parece sem sentido no momento.

Acho que De Arrascaeta precisa de tempo, de se entrosar com a equipe, que o restante vem aos poucos. Ele é muito jovem. Não podemos colocar toda a cobrança do mundo num jogador de vinte anos de idade que acabou de chegar de outro país.

"estou me sentindo tão amado"

“estou me sentindo tão amado”

Gabriel Xavier:

Sinceramente, não consegui enxergar nem um milésimo do que a torcida está vendo nesse jogador. Ele disputou duas partidas (entrando no segundo tempo) e não fez nenhum gol e não deu nenhuma assistência. Ele deu um lindo passe para Marquinhos que tocou para Joel marcar o segundo contra a URT. Já na partida contra o Tombense, ele jogou 45 minutos e perdeu dois gols frente a frente com o goleiro.

Não estou querendo julgá-lo como o pior jogador do mundo após duas pequenas aparições, mas também não acho que ele é essa “última bolacha no pacote” toda como andam dizendo. O pessoal está com ideia de colocá-lo como titular da equipe e, a não ser que estejam vendo todos os treinos do Cruzeiro e ele esteja destruindo, marcando mil gols tal qual Vinícius Araújo, não consigo entender esse clamor.

Ele fez algumas coisas positivas pelo lado contra o Tombense, gostei de sua visão de jogo em alguns lances e achei que talvez tenha um futuro ali na direita, talvez até mesmo como o procurado substituto do Éverton Ribeiro (que na verdade já encontramos = é o Alisson), mas está longe de ser a “solução”. Pra mim ele não está nem perto de ser titular da equipe. Pelo menos pelo que produziu até aqui. O único motivo pelo qual queria que ele fosse titular HOJE era para chamá-lo de Professor Xavier em campo.

raro momento em que Marcos Vinícius é visto dando um passe e não correndo para cima da defesa

raro momento em que Marcos Vinícius é visto dando um passe e não correndo para cima da defesa

Marcos Vinícius:

Já Marcos Vinícius me agradou mais. Ele entrou e mudou o jogo contra o Mamoré, indo pra cima da defesa adversária e começando o lance do gol solitário de Damião. Na partida contra a URT ele deu uma assistência para o gol de Marquinhos e se movimentou muito bem novamente. Mas contra o Tombense ele entrou mal, errou tudo que tentou fazer e quase deu um gol para a equipe adversária quando tentou fintar três adversários e chutar.

Acho que ele deu ao Cruzeiro uma coisa que estava faltando desde a saída de Ricardo Goulart, a movimentação com velocidade pelo meio. Com isso, a equipe toca mais a bola, troca de posições mais rapidamente, consegue enganar a defesa adversária e entrar mais na área. Uma coisa muito positiva que ele faz é chutar muito a gol. Nos últimos anos, mesmo com o excelente time, ninguém chutava de fora da área, tinha jogo difícil que o pessoal insistia em entrar na área tocando.

Mas, pelo lado negativo, Marcos Vinícius é inexperiente e individualista. Às vezes carrega demais a bola e faz a escolha errada na hora de tocar/finalizar. Novamente, culpa da idade. Tem apenas 20 anos. É outro que pode ser muito útil num futuro próximo, mas não é solução. Vejo até mais potencial nele do que em Gabriel Xavier para entrar no time, já que nos proporciona uma característica que falta no momento.

A conclusão que chego desse texto é: calma. O time é novo, está mudado, e algumas peças demoram mais do que outras para dar certo. É difícil também esperar consistência e tanta responsabilidade de jogadores jovens. Esse Cruzeiro vai dar certo, só que vai demorar mais do que estávamos esperando.

  • Márcio Vicente

    Usando o seu argumento sobre o Arrascaeta (com o qual concordo inteiramente) acho que o Gabriel Xavier deveria sim ser testado como titular, dar pra ele alguns jogos para ver o que acontece. Ainda sobre o Arrascaeta eu tenho a impressão que quem não confia nele é o treinador que o tira TODO jogo no segundo tempo. Com relação ao Marcos Vinicius o problema que eu vejo nele (e ai eu vejo uma vantagem no Gabriel Xavier) é que ele prende muito a bola, se ele jogar assim não será uma solução para o meio mas um complicador, caso vire titular….

  • A verdade é que a torcida do Cruzeiro é chata pra caramba e sem paciência. Acho cedo pra “jogador solução” e “merda de jogador”. Sou paciente, posso esperar um pouco mais pra amar/odiar.

  • Amigo, vc tem razão em tudo. Até quando elogia sua própria piada.
    Tenho pensado muito em uma metáfora da construção civil para entender esse Cruzeiro. Meu ponto é: temos os tijolos, o cimento, os azulejos, a pia, etc. O material tá aí, nem todos são de primeira, mas tão aí. Só que… falta o rejunte. Falta o acabamento. E falta isso pelo simples fato de que Goulart e Lucas Silva são insubstituíveis. Éverton era o craque, o rei do dibre, mas um time acertadinho se viraria bem sem ele. Goulart e Luquita eram os caras que se movimentavam e preenchiam os espaços, pra trás e pra frente. O Goulart por conta do perfil peladeiro valente, o Lucas porque é o jogador do passe curto, que encosta pra receber e devolve. Essas duas peças meio que articulavam toda a movimentação ofensiva e defensiva. Os outros se mexiam ao redor e sempre havia opção. Sem eles, os bons Mayke e Henrique são sombra do que foram.
    Se não tem mais o rejunte e o lustre, Marcelo tem que construir essa casa de outro jeito. O time tava indo bem nos contra-ataques, jogando em velocidade, com Marquinhos e Alisson, talvez seja essa a alternativa. Mas temos que lidar com muitos equívocos na montagem do elenco. Exemplo: contrataram o Arrascaeta pra ser o cara que joga pelo meio. Se não é ali a dele, contrataram errado. Se colocar ele do lado, deixam claro que erraram em várias outras contratações.
    Você tá certo, temos que ter calma, vai demorar mais do que parecia. Marcelo tem que perceber logo que desse jeito e com essas peças o time vai demorar uns 3, 4 anos pra encaixar. E sem ele, talvez até mais. Não tem outro cara pra fazer esse time jogar bola. Então, o que me preocupa é a demora dele em buscar outros caminhos e a irritação que já se observa em parte da torcida. Nada que uma semifinal redentora contra o rival não dê jeito.