Nós, mulheres, também queremos

Tempo de leitura: 3 minutos

Gostamos de futebol pelo que é, não por músculos, nem por grana, nem pra enturmar melhor. Gostamos porque gostamos, assim como vocês.

Foto: Lucas Bois

Foto: Lucas Bois

Ninguém nunca te perguntou a regra do impedimento porque sabiam que sabiam. Nós não queremos passar por esse “teste de QI” para provarmos que não somos burras tal como ratos em laboratório. Já passou esse tempo ou vocês não repararam? Gostaríamos de poder escolher entre a bola e a boneca, não gostaríamos que discutissem a nossa sexualidade devido aos nossos gostos.

Gosto de ir ao jogo mesmo que seja sozinha. Não é solidão, nem que esteja “na seca” a procura de um homem. Apenas gosto de ir.

Quero ir velhinha para levar meus netos. Quero ir criança, mesmo que pensem que é “violento demais para meninas”, porque pra qualquer criança seria, mas não é. Queria entrar de mão dada com minha mãe, com meu pai e (por que não?) também com os jogadores.

Foto: Lucas Bois

Foto: Lucas Bois

Quero ter a liberdade de chorar na arquibancada sem que me perguntem se é culpa dos hormônios, poder descarregar a TPM num juiz como se fosse meu chocolate. (Sei que vocês não entendem isso, mas nessa época vale mais a pena. Só juntando o inevitável com o agradável.)

Não quero ouvir “mesmo sendo mulher você gosta de futebol…”. Pelo amor de Deus: não! Nem por isso eu quero ouvir “essa é pra casar”, porque não queremos casar apenas por isso ou talvez nem queiramos casar.

Além de julgar se jogador é bom ou não, também quero liberdade para poder achar ele bonito sem que me chamem de Maria Chuteira ou que “só por isso você gosta de futebol”. Ué… nem tudo é futebol também. Aliás: somos muitas Marias também e isso não é um xingamento porque pode ser nosso nome, sabia?

Foto: Lucas Bois

Foto: Lucas Bois

Quero ir com meu namorado como companhia, não por ciúmes por ele pensar “tem muito homem no mesmo local” ou é melhor que ele não vá. Quero ir ao estádio com short porque faz um calor do caramba. Quero ir arrumada porque gosto de me arrumar (e não é para você), quero ir desarrumada também porque não deu tempo de me arrumar. Quero ir como vou e sou.

Quero e gosto de ler livros sobre futebol sem que me falem para ser jornalista. Quero gostar do assunto sem ter que dar motivo. Quero fazer mais viagens para ver o time jogar, não apenas por turismo. Quero chorar nos títulos, beber nas comemorações, desesperar nas derrotas, discutir nas segundas de manhã no trabalho, dormir mais tarde na quarta, mas também quero poder discordar e concordar.

1461505_198835563634927_1127503822_n

Foto: Lucas Bois

Quero comprar produtos oficiais para sentir orgulho de desfilar com meu time. Quero ser representada – de verdade – em desfiles de novas coleções. Aliás: queria achar mais produtos e meu número na loja. E aceitamos esse tipo de presente também, sabia?

Quero tomar chuvas de verão torrenciais antes de entrar no estádio, ficar nos engarrafamentos, passar raiva na demora nas filas da revista… Não, na verdade não quero, mas também acho que pelo meu clube vale a pena.

Quero jogar, quero sofrer, quero ganhar e, infelizmente, às vezes ter que perder. Quero nada mais e nada menos.

Quero torcer. Apenas torcer.

Luciana Bois

Luciana Bois

★★★★ Uma maria que possui a estranha mania de ter fé na vida. ;D
  • Pingback: | Dia das Mulheres | – Blogueira Preta()

  • Tutameia

    o único erro irreparável das mulheres quando de põe a imitar homens…e sua escrotidão.

  • Jéssica

    Muito legal o texto! Não precisamos imitar ninguém, somos mulheres e gostamos de futebol