O Cruzeiro está precisando de mais… Deivid

Tempo de leitura: 4 minutos

Olá amigos.

Eu voltei, após breve doença louca. Vocês já tiveram rotavírus? Não recomendo. Na verdade, até recomendo se você quiser emagrecer um pouquinho (risos). NÃO. MENTIRA. Para com isso. Vamos ao texto, pois muita bobeira já foi dita em poucas linhas. Quase um recorde.

Sobre o título do post: não me matem. Vou explicar, fiquem calmos, respirem. Não quero dizer Deivid treinador (apesar de que não vejo nenhum problema no Deivid treinador), e sim o Deivid jogador. Vocês ficam aí zoando o Deivid por ter perdido o gol mais feito da história do futebol (e é pra zoar mesmo), mas ele era um ótimo atacante, goleador, que se estivesse jogando hoje seria, com certeza, o camisa 9 dessa seleção terrível. O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM A NOSSA SELEÇÃO???

Não sei se vocês sabem mas Deivid jogou um pouquinho pelo Cruzeiro. Ele participou do belíssimo time de 2003 e, mesmo saindo na metade do ano para o Bordeaux da França, deixou sua marca. Foram 15 gols em 19 jogos na sua rápida passagem, um número excelente. Fez gol em quase todo jogo que disputou. É isso que você espera de um bom atacante. Fazer gol sempre, aproveitar as oportunidades. E é isso que está faltando ao Cruzeiro. Aproveitar mais as chances, acertar mais o gol. Está faltando um Deivid de 2003.

Segundo o footstats, o Cruzeiro precisa de 11 chutes para marcar 1 gol. E isso é um absurdo porque o time precisa se esforçar muito para mexer no placar. Se você pensar que hoje em dia o futebol é mais fechado, os times pequenos vem a campo para se defender em primeiro lugar, é um desperdício sem fim que na maioria das vezes vai fazer o time sair sem o resultado positivo. O Cruzeiro, para fazer dois gols num jogo e ficar mais tranquilo, “matar” uma partida, precisa de 22 chances. Você não vai conseguir 22 chances de marcar em todas as partidas. Na verdade, pra você conseguir 22 chances num jogo você tem que ser muito bom, muito criativo, um time muito melhor do que o Cruzeiro é no momento. Você precisa ser o Cruzeiro de 2013. Lembra quando o Goulart perdia 4 gols e fazia 3? Tempo bom que não volta nunca mais.

Hoje você precisa ser mais efetivo. Converter melhor as chances. Ontem o Cruzeiro fez três gols mas jogou mal e perdeu chances absurdas. De Arrascaeta, Sanchéz Miño, Rafael Silva. Só de cabeça consigo pensar nesses três lances que, sem marcação, os jogadores chutaram pra fora. Não conseguiram nem acertar o goleiro. Ontem foram 23 chutes a gol, 15 para fora e apenas 8 no gol. 34% de acerto. É muito pouco. Conseguimos marcar três e vencer, mas erramos muito. Poderíamos, tranquilamente, ter saído de campo com um empate.

Mas não quero apenas culpar a pontaria dos nossos atacantes (que realmente não estão bem). Willian – que se lesionou duas vezes e ainda não voltou à sua forma do ano passado – não fez nenhum gol em 5 jogos e Douglas Coutinho tem apenas 1 gol em 5 partidas. Realmente parece ser o problema, se não fosse por Rafael Silva. O atacante ex-Vasco é a exceção, está bem, são 5 gols em 8 jogos. E vem “salvando” nossa equipe, fazendo gols importantes. Mas ele não consegue fazer tudo sozinho. Precisa do apoio dos outros atacantes, tanto marcando gols quanto criando jogadas. E acho que é nisso que esbarramos mais para essa falta de pontaria. Nosso último passe, normalmente, não é bom, e os jogadores acabam tendo que se esforçar mais do que o normal para marcar. Além disso, esses atacantes de suporte, como Alisson e De Arrascaeta, erram muitos gols, mais do que o normal. Chutam fraco, em cima do goleiro na maioria das vezes.

O Cruzeiro não pode precisar de 11 gols para marcar em todas as partidas. E quando tivermos apenas duas ou três chances claras, como geralmente acontece num clássico? A partida contra o Atlético está chegando. Temos que melhorar. E, ao contrário do que vocês pensam, Deivid está sabendo dessa deficiência e tentando arrumá-la. O time está fazendo um treinamento especial com mini-gols. A única coisa que me deixa triste – e talvez seja mais um problema do futebol brasileiro em geral do que com o Cruzeiro –  é que em pleno 2016 a equipe precisa treinar fundamentos básicos com a finalização. Os caras fazem o que na base?

Se Deivid conseguir tirar mais gols desse time tenho certeza de que o Cruzeiro irá melhorar muito. O time tem uma boa defesa, pouco vazada, e está arrumando seu meio-campo com Romero, Ariel e Henrique. Falta marcar mais. Além disso, ficaria bem feliz se Deivid conseguisse ensinar os jogadores como ganhar do Atlético, pois ele sempre humilhou nosso pequeno rival por onde passou. Foram 12 jogos, 9 vitórias, 3 empates e 10 gols marcados.

Até amanhã.

Não me siga

Michael Renzetti

Não sei nada sobre táticas, sobre jogadores, sobre times - bom, na verdade eu acho que não sei nada sobre futebol. Mas eu gosto de opinar.
Não me siga
  • Júlio César

    Tem que trazer de volta o Riascos!

    • João

      vade retro satanás

    • Anderson Freitas

      Eu vou além, um trio Riascos, Guerron e Anselmo Ramon seria ótimo.

    • Tem sim, só se for pra ASSASSINAR ELE e servir de oferenda para os deuses do futebol voltarem a agraciar o Cruzeiro.

  • Anderson Freitas

    Maico, é impressão minha ou vc não vai mais ao Mineirão?

    • Desde o dia seguinte à demissão de marcerela eu não vou mais, mas quando acabar o mineiro acho que volto.

  • CamiQuaseTETRA

    Nada contra sobre o texto. Não sei se é porque concordo ou se estou com preguiça de pensar se não concordo. Mas vamos fazer de conta de é porque concordo.

  • Fernando

    Nossos meias de aproximação realmente tem baixo poder de conclusão. É muito chutinho de moça mesmo. Quem salva é o Marcos Vinícius que tá machucado. Os volantes também chutam mal, dá até saudade do Charles…
    Agora, sinceramente, o problema maior do Cruzeiro é outro. O time até por ter essa característica, tinha de rodar mais a bola na entrada da área, infiltrar mais. Quando o Fabiano pega a bola ele corre pro fundo ou cruza. Legal a voluntariedade dele, mas os caras encostam a toa, ali não sai tabela. Do outro lado o Miniño é nulo. O Alisson tenta o drible, o adversário sempre cola um cara no Arrascaeta, e, apesar da presença do Rafael, ele não dá sequência a uma jogada.
    O Cruzeiro precisa aproveitar melhor o seu elenco do meio pra frente, rodar os caras e treinar jogadas.
    Eu abriria o Arrascaeta, para ele fugir mais da marcação, e ter espaço para criar e, desde que saudável, colocaria o Marcos centralizado, para aproveitar o chute dele e a força física. Não estando ele disponível, poderia ser o Wiliam, testar o Coutinho atrás do centroavante ou mesmo o Alex. O “centroavante” ou falso nove podia ser o Alisson, com liberdade para abrir e encostar, para sair uma tabela.
    O que percebo é que o Deivid está perdendo tempo no estadual, tendo de ganhar do Villa na raça(?), ao passo que ele não testa alternativas táticas para a temporada, ou mesmo para mexer no time durante o jogo.

    Trocar agora é pior, o erro foi cometido pela diretoria em dezembro. Vamos torcer para que os problemas aconteçam para precipitar a criação de alternativas.

    • Anderson Freitas

      Acho que no esquema atual o maior problema é na criação msm, as chances não são tão claras. Nesse 433 os 2 volantes a frente estão um pouco distantes da área pra criar, o Alisson geralmente parte pra jogada individual por não ter ninguém no centro pra tabela. Seria ótimo ver Ariel se aproximando mais da área, ele tem um bom passe.

  • Luís Filipe

    “O Cruzeiro não pode precisar de 11 gols para marcar em todas as partidas. ” vc quis dizer 11 chances né?