Não devemos culpar a juventude

Tempo de leitura: 2 minutos

Entre Lucas e Bryans, muitos da torcida querem crucificar os meninos da base. Não os entendo.

Desde o ano passado o Cruzeiro já sinalizava que esse ano trabalharia mais com meninos novos. Arrascaeta, o craque do time, acabou de completar 22 anos.

Mas agora que o bicho está pegando, quem está segurando o rojão também vem da base e a média de idade do Cruzeiro diminuiu mais ainda.

Agência i7

Agência i7

Contra o Vitória, os jogadores de linha tinham média de 23,6 anos e, quando o Alex entrou em campo, a média dos jogadores da linha abaixou para 23,1 anos. Em um dos últimos jogos com time titular do Mano (x Palmeiras), a média de idade era de 27,5 anos dos jogadores de linha. Uma diferença brusca que agora é perceptível à olho nu.

Porém isso não é fato determinante pra fase do time. Pelo contrário até! Se os meninos chegaram ao time titular com essa idade, mostram que possuem qualidade inquestionavelmente. O fato da experiência se adquire com o tempo, sendo este muito mal planejado pelo Cruzeiro em 2016. Se tivesse sido trabalhado desde o Mineiro, provavelmente o time estaria entrosado e indo bem nesse começo de brasileiro.

Como disse, desde o ano passado víamos que o Cruzeiro viria pra 2016 apostando na juventude: Marcos Vinicius, Allano, Arrascaeta, Judivan, Alisson, Gabriel Xavier foram titulares em 2015 em algum momento. A média de idade deles, na época do jogo citado, era de 20,8 anos e eram bons nomes para nosso meio-ataque.

Ao apostar no Deivid, o Cruzeiro esqueceu que também deveria colocar os meninos. Sim, eu defendi que o Deivid ficasse até o fim do Mineiro e não me arrependo (Ok, um pouco.. mas depois da escolha feita pela diretoria, seria burrice trocar logo em seguida), porém seu trabalho foi inegavelmente horrível e ali era onde deveria ter trabalhado a base.

Paulo Bento pegou o bonde andando e está tentando arrumar com o que tem. Foi mal neste domingo, mas já provou que ao menos é melhor que o Deivid e sabe ser técnico. Tem os meninos para trabalhar porque os mais experientes estão machucando ou suspensos. Eles, vejam bem, NÃO ESTÃO PREJUDICANDO O CRUZEIRO. Há exceções, ainda mais que o Allano nem lateral é. Mas eles não são responsáveis por esse momento ruim.

O maior rival do Cruzeiro é o tempo, este que foi tão mal planejado. Mas os meninos de nada têm culpa.

Veja abaixo os jogadores de linha dos dois jogos que citei (e perceba que o elenco do Bento NÃO É O MESMO que o do Mano):

Luciana Bois

★★★★ Uma maria que possui a estranha mania de ter fé na vida. ;D
  • Fernando

    Concordo. Digo mais, esse bando de diretor inútil que montaram esse time extremamente desequilibrado deveriam vir a público e falar: “Nosso cara é o Paulo Bento nossa meta é o título brasileiro… de 2017. Esse ano é de adaptação porque erramos no planejamento, vamos tentar a Copa do Brasil”.
    Os caras são tão ruins que pioraram o time em todos os setores. Tinha o Egídio, que terminou 2014 como o melhor LE do Brasil. Vende o cara por uma ninharia e gastaram os tubos para trazer Samudio – Gilson -Breno Lopes – Pará – Fabrício – Bryan. Todos piores que o Diego Renan, gastando mais do que se ganhou com o Egídio. É claro que haveria preço, que está sendo pago agora. O Paulo Bento é a nossa esperança de organizar a casa, sair dessa ciranda de contratações e dispensas lunáticas que só oneram o clube e preparar para o ano que vem. Detectar as falhas, implementar um esquema de jogo e conhecer o elenco leva tempo.
    Isso está sendo feito. Mas a parte babaca da torcida prefere vaiar o Allano, e xingar o menor culpado de todos que em uma entrevista mostra mais caráter e preparo do que todos os membros da Diretoria juntos.