Não somos, estamos e tu és

Tempo de leitura: 2 minutos

Quem faz o Cruzeiro de hoje? Paulo Bento: merda*. Brunos: merda*. Allano: merda*. Willian: merda.*

Muito complicado alguém ter falado que o Cruzeiro é uma merda.

A história das 5 estrelas é grande demais pra caber em 5 letras. Fizeram sim uma grande merda com o Cruzeiro. Um planejamento de merda pra acabar com um ano que seria maravilhoso.

Apelando para o divino, vou colocar essa foto aqui pra ver se ajuda.

Apelando para o divino, vou colocar essa foto aqui pra ver se ajuda (reprodução internet)

Riascos, imagine, foi um grande investimento em 2015! Ninguém até hoje descobriu o porquê. Talvez pra lembrarmos o significado dessa palavra depois de dois anos ganhando títulos.

Contra o Fluminense, o Cruzeiro foi uma merda em campo pra não esquecer o que é um jogo de merda. No jogo passado eu defendi o Paulo Bento que fez exatamente como eu faria e o time foi bem no primeiro tempo. E este domingo, sim: uma merda do Allano na escalação inicial, da movimentação do time em campo (sem ligação no meio campo, Allano sendo sombra do Edimar… enfim, uma merda) à entrada do Riascos.

Agora vejo que temos um elenco não muito bom, é verdade… mas suficiente – com sobras – para não cair. Só que um planejamento de merda nos fez chegar até aqui nessa situação. Ninguém que estava no futebol árabe, mexicano ou de férias na Argentina chega a plenas condições pra aguentar o Campeonato Brasileiro rapidamente. Eram pra estar aqui desde o Mineiro!!!

Paulo Bento, por birra, manteve Bruno Rodrigo e colocou o Allano como titular. Não há explicações a não ser birra. No Twitter disse que vejo três tipos de treinadores com vaias: PC Gusmão que atende a todo e qualquer clamor da torcida; Marcelo Oliveira que atendia suas convicções, concordando ou não com a torcida; e o caso do Paulo Bento, que fez só pra irritar a torcida.

Acho isso do português porque, depois do jogo contra o Santa Cruz, ele tirou o Bruno Rodrigo do time e agora o garantiu como titular na coletiva depois do jogo passado. Pura birra.

Não concordo que o Bento tenha que sair do time, mas precisa de uma boa conversa pra entender o que ele fez contra o Fluminense. Ele precisa ser técnico, não um confrontador de torcida. Já basta aguentarmos na arquibancada tanta gente chata, mas isso fica com a gente mesmo.

Para ter jogada ensaiada precisa de tempo de treino de um time, para uma movimentação boa precisa de um time ensaiado e eles ainda estão se conhecendo! Lá vem merda de novo se trocar o Cruzeiro todo mais uma vez!

Jogo que vem teremos Manoel, ficaremos sem o Allano e os Brunos. Agora é esperar sair da merda.

E Riascos, meu querido… Se você quiser emprestado, tenho um tanto de livro pra você conhecer a história do Cruzeiro e do futebol brasileiro, enquanto a sua pode ser contada apenas por uma foto. Beijos!  

(Tem alguns emprestados, mas pode entrar na fila de espera)

*Tem alguns emprestados, mas pode entrar na fila de espera

Luciana Bois

* Muitos asteriscos para dizer que não concordo que sejam merdas

Luciana Bois

★★★★ Uma maria que possui a estranha mania de ter fé na vida. ;D
  • Wellington Duarte

    Ótimo texto. Discordo da manutenção do PB. Nenhum técnico estrangeiro deu certo no Brasil. Aqui precisamos de tudo pra ontem. E pra situação atual do Cruzeiro, precisamos pra Anteontem. Chega de experiências, de queimar garotos. Que a diretoria enxergue enquanto há tempo…Se ainda tiver.

  • Philipe de Paula

    um presidente pateta, um vice covarde (que sumiu até do twitter) e incompetente , um diretor de brasfoot (iria chamar de diretor de FM mas isso seria elogio pra ele), um tecnico que nada mais é que um Dunga portugues (é muita paciencia com alguem que nunca fez nada de relevante na vida, não ficou 2 anos desempregado a toa), um DM que não cura nem gripe e uma torcida que aplaude Willian, sim, ESTAMOS NA MERDA

  • luiz

    o Cruzeiro vem de um bi campeonato brasileiro recente, não se pode ganhar todas, tem que ter calma e trabalhar esse ano pra não cair, se reestruturar e voltar a brigar por títulos, não há razão pra desespero.