O ciclo não acabou, tem clima sim, e o tempo não passou

Tempo de leitura: 3 minutos

Olá amigos!

Nos últimos dias apareceram muitas especulações sobre Willian se transferir para o Palmeiras. A gente quer o Robinho porque ele é excelente, o Palmeiras quer o Willian porque ele é muito bom e eles perderam seu atacante velocista. Mas por enquanto não deu em nada. E mais recentemente apareceu um outro papo dele sair para o Flamengo. Eles nos passariam o Cuellar, porque eles são daquele tipo de querem demais de jogadores que acabaram de chegar (como eu disse no num texto passado), e a gente passaria para eles o Willian. Esse negócio também não deu em nada.

Mas o interessante é que muita gente da minha bolha (vocês tem que entender sempre que eu digo que muita gente fez algo estou me referindo a um pequeno pessoal da internet, pois como dizem os estudiosos, vivemos todos em pequenas bolhas e não temos a mínima noção da realidade) repercutiu essa notícia dizendo que a saída de Willian era uma boa porque “o ciclo dele havia acabado”. Até mesmo em comentários desse blog você consegue ler isso. Nesse texto aqui ó.

E aí eu fiquei pensando. Que raios é esse tal de ciclo que o pessoal adora falar? Acaba o ciclo de jogador, de treinador, de presidente, de diretor, de todo mundo. Só não acaba o ciclo da corneta (risos). Mas falando sério. Eu entendo quando um jogador vai ficando mais velho e não consegue atuar com aquela regularidade e eficiência de outrora (como aconteceu com Bruno Rodrigo nessa temporada), ou quando um jogador sofre muitas lesões e não consegue jogar em alto nível (caso de Ceará). Aí sim faz sentido dizer que o ciclo acabou, porque o clube não vai ficar pagando salário para um jogador com o qual não acha que pode contar mais.

Mas o caso de Willian é diferente. O rapaz está firme e forte, tem 30 anos (é mais novo que Thiago Neves, que vem badalado do mundo árabe), e fez boas temporadas pelo clube. Não tem nada de “ciclo acabou”. O ciclo acabou por que a torcida está pegando no pé dele? Isso não deveria ser motivo. Torcida não consegue pensar racionalmente sobre nada, pega no pé de qualquer um (e muitas vezes sem razão). É tipo quando dizem que “não tem mais clima para o jogador”. Eu só vou aceitar que não tem mais clima se o jogador só puder jogar no inverno, porque aí realmente não tem mais clima para ele. Na verdade, hoje em dia no Brasil não tem mais clima para jogador que queira jogar nem em primavera ou outono. É tudo verão.

A relação torcida-jogador é muito engraçada, porque sempre cobramos lealdade dos jogadores, que eles tenham amor à camisa, que queiram ficar no clube para sempre e ficamos muito bravos quando eles aceitam propostas milionárias para sair ou querem salários mais altos para ficar. E ao mesmo tempo nós queremos que os jogadores saiam a todo momento que as coisas não estão bem. “Mas ele não está jogando mais nada, seu tempo já passou, acabou o ciclo, não tem mais clima, só jogava quando o time estava bem, assim é fácil”. É como se a fase ruim fosse só para o jogador, o clube, coitado, não tem participação nisso.

Más contratações, mudanças constantes de técnicos, falta de planejamento. Isso interfere demais com o rendimento dos jogadores. Não podemos esperar que todo mundo continue jogando muita bola enquanto os dirigentes bagunçam tudo. Alguma parte da responsabilidade eles têm.

E o mais interessante é que esse torcedor do ciclo já tem a resposta para o problema. Ele mesmo já entendeu que o jogador rende melhor num time bom e arrumado. Então ele não deveria cobrar que o jogador renda num time ruim, ele deve cobrar que seus dirigentes montem times bons para ele render.

Até amanhã.

Ei, não vá embora ainda. Cadastre-se aqui e receba nossos e-mails.

A gente não vai vender seu e-mail e nem encher o saco com spam, pode ficar tranquilo.
Não me siga

Michael Renzetti

Não sei nada sobre táticas, sobre jogadores, sobre times - bom, na verdade eu acho que não sei nada sobre futebol. Mas eu gosto de opinar.
Não me siga
  • Anderson Freitas

    Eu li esse texto depois que o Willian foi negociado, e que péssimo negócio foi esse. Se o Palmeiras não queria sair perdendo no negócio, e a saída que acharam era o Willian pois disseram que não tinha dinheiro pro passe do Robinho, o correto seria: passar o Fabiano de graça, e emprestar o Willian a eles por uma temporada, e depois ele retornaria ou teria que ser feito a aquisição do seu passe.