Enquanto o time não joga, a gente tem tempo pra reclamar de tudo

Tempo de leitura: 4 minutos

Olá amigos!

É muito difícil ter algo pra escrever todo dia sobre o Cruzeiro no começo do ano. Não acontece nada direito. Ou a gente assiste a copinha e fica tentando julgar garotos que ainda não estão prontos para jogarem profissionalmente, ou a gente fica comentando especulação e contratações/vendas de jogadores. E como o Cruzeiro está com um bom time no papel, foram poucas as transferências nesse 2017.

E cá entre nós, nada é mais chato que comentar especulação. E daí que temos interesse em tal jogador? Eu não me importo, até que ele esteja vestindo a camisa do Cruzeiro. E mesmo assim, é muito complicado comentar transferência. Ainda mais quando é de jogador chegando. O que podemos dizer? “Ah ele fez sei lá quantos gols”, “ah ele foi o melhor zagueiro equatoriano”, “ah ele ficou parado mas enquanto jogou foi muito bem por lá”. Ok, podemos até dizer essas coisas, mas nada disso é muito substancial. O que o jogador fez no time anterior e o que ele vai poder fazer no Cruzeiro são coisas bem diferentes. E é por isso que sempre digo que temos que dar tempo ao tempo, deixar o jogador à vontade, esperar ele se entrosar com os companheiros antes de julgarmos alguma coisa. O tempo que eu acho que devemos esperar para dar um veredicto sobre qualquer jogador é de um ano. 365 dias. E se for estrangeiro pode aumentar pra um e meio.

Mas voltando ao ponto. Está complicado achar algo para escrever. O papo sobre o Willian deu um texto bacana (ou horrível, depende do seu ângulo) porque a negociação do Cruzeiro foi tão horrível que alguma coisa precisava ser dita. E eu ainda não creio que trocamos um jogador por uma cláusula de contrato. Mas enfim, não quero falar mais disso. Estou tendo que espremer os limões que a vida me dá para tirar algum caldinho de texto. E hoje está especialmente ruim de assunto, apesar de terem acontecido algumas coisas.

Thiago Neves chegou. Mas já falei de Thiago Neves antes. Na verdade usei Thiago Neves para xingar Gilvan por duas coisas. Primeiro, por anunciar jogador que não estava fechado com o clube. E segundo, por ficar prometendo contratação para aniversário do clube.

Além disso, o Huracán ligou novamente IMPLORANDO para o Cruzeiro pagar o Ábila. Mas isso pouco me interessa. Não me entendam mal, eu me preocupo que o time não tenha 4 milhões de reais para pagar um jogador contratado à seis meses, mas quem criou essa situação toda foram eles, então que eles se entendam. Não fico mais impressionado com essa várzea de comprar jogador sem ter dinheiro e nunca mais pagar. O Atlético Mineiro não pagou o Victor até hoje. Nada mais absurdo que isso vai acontecer no futebol.

Uma coisa fica clara no início de temporada. Quando não tem jogo é a hora perfeita para reclamar de tudo. Ficamos calmamente vendo de casa tudo que esses caras fazem de errado. E é a hora de mostrar pra eles que não estamos gostando. Não tem diretor de futebol? Vamos xingar. Não conseguem fazer negociações e manter os melhores jogadores? Vamos xingar mais ainda. Não conseguem pagar um simples jogador contratado no ano anterior? Vamos xingar até pagar. E está tudo bem.

Só não pode xingar quando o campeonato começa e o time precisa de você. Do apoio. Porque não há mais o que fazer. Os jogadores já foram contratados, o treinador também, já pagamos ou deixamos de pagar quem estávamos devendo. Arrumamos um diretor de futebol, seja bom ou ruim. Estamos todos à bordo do mesmo navio e não adianta mais chorar pelo leite derramado. Ou pelo menos devia ser assim.

Mas o que realmente acontece é que os torcedores ignoram essa parte importante do planejamento e começam a reclamar durante o ano, quando tudo dá errado. Ou certo. O pessoal é tão ninja que consegue reclamar quando tudo dá certo. É impressionante.

Então eu faço esse apelo para vocês. Vamos reclamar enquanto o time não joga, enquanto todo o planejamento é mal feito, enquanto podemos falar mal de tudo e todos. E quando o pontapé inicial for dado, vamos tentar apoiar o máximo possível, fazer nossa parte como torcedor, e torcer. Porque no fim das contas o futebol é isso, é torcer e se divertir. Mas enquanto o futebol não começa a gente aproveita pra reclamar bastante.

Até amanhã.

Ei, não vá embora ainda. Cadastre-se aqui e receba nossos e-mails.

A gente não vai vender seu e-mail e nem encher o saco com spam, pode ficar tranquilo.
Não me siga

Michael Renzetti

Não sei nada sobre táticas, sobre jogadores, sobre times - bom, na verdade eu acho que não sei nada sobre futebol. Mas eu gosto de opinar.
Não me siga