Skip to content →

Bons reforços, maus negócios, dívidas e ESPN Brasil

Tempo de leitura: 7 minutos

Olá amigos. Tudo bem? Há quanto tempo, não é mesmo? Como vocês estão? Tudo bem? Como vai essa força? Nossa, que tanto de pergunta. E ainda são todas a mesma pergunta, são só formas diferentes de perguntar a mesma coisa, e o pior é que eu nem tenho um interesse real em saber como você está de verdade. Senão eu não perguntaria aqui, num post de blog, que não faz sentido nenhum se você parar para pensar. Como você me responderia? Num comentário aberto, utilizando a belíssima ferramenta Disqus, para que todos possam saber de tudo que te aflige, seus sonhos despedaçados, seus pesadelos, suas angústias? Ah não, esse não é o lugar indicado para tentar saber como você se sente de verdade. Eu só queria ser educado.

E o Cruzeirão Cabuloso hein? Só nas contratation? Só nos reforços pontuais e contratações de peso para deixar o Mauro Cezar Pereira 100% pistola? Só virando a pauta principal da ESPN Brasil pela primeira vez na história do futebol? Nem quando o Cruzeiro foi bi-campeão brasileiro eles se importaram tanto assim com nosso time. Lembra como o Kaká quase ganhou a bola de ouro placar em 2014? E se não fosse a gente reclamando no twitter e o Trajano concordando na TV (parte 2 a partir de 1:23) ele ia ganhar a bola de ouro mesmo jogando tipo uns quatro jogos e nem fazendo gols direito. Enquanto isso Ricardo Goulart fazia uns dez gols por jogo com onze assistências do Éverton Ribeiro.

Mas falando sério, estou gostando muito das contratações do Cruzeiro. A direção identificou muito bem nossos problemas, nossas fraquezas nas laterais, e trouxe jogadores de peso para a posição. Edílson foi campeão da Copa do Brasil e da Libertadores pelo Grêmio, Marcelo Hermes é um jovem com grande potencial, e Egídio nem precisa de introduções. Muita gente é contra o Egídio, mas sinceramente, pelo que ele jogou e ganhou aqui, não consigo compreender. Mesmo achando que ele não marca tão bem, que deixa muito espaço para o adversário, ele foi titular e bi-campeão brasileiro aqui. Não faz muito sentido duvidar de sua qualidade.

Mas, apesar de todo o acerto nas laterais, a negociação para ter o Edilson me incomodou muito. Dar, de mãos beijadas, o Alisson, nosso menino, nosso garoto, nosso neném, nosso tchutchuquinho (acho que fui longe demais), para o Grêmio, é incompreensível para mim. Claro que a contratação do Edilson foi ótima e mais que necessária, claro que para não gastar nada na negociação a gente precisava se desfazer de um bom nome, mas se desfazer de um jovem meia de 24 anos, bi-campeão brasileiro, campeão da copa do Brasil, que ainda não está no seu auge e acabou de fazer sua melhor temporada pela equipe por um simples lateral direito de 31 anos é uma negociação muito ruim. A gente desvalorizou muito o Alisson e valorizou demais o Edilson. E acho que muita dessa valorização veio do falatório da nossa diretoria na imprensa. A proposta de contrato já era boa, o jogador já estava convencido, era só ficar calado e negociar bem.

E você achou que a contratação de Edílson foi a única negociação esquisita na temporada? Achou errado, otário. A nova diretoria do Cruzeiro surpreendeu a todos e contratou o centroavante amante do time que lhe paga muito dinheiro chamado Frederico Chaves Guedes, vulgo “Fred”. Devo dizer que seu anúncio foi muito engraçado, porque ele saiu do Atlético num dia, assinou com o Cruzeiro no outro e apagou todas suas postagens “atleticanas” em redes sociais (menos o banner inicial do twitter, criando um meme eterno de confusão) deixando os torcedores de nosso inglorioso rival muito bravos. Eles haviam ficado tão felizes de roubar o Fred da gente e atrapalhar certo carinho que parte da torcida tinha por ele, aí o rapaz me vem e acerta com a gente 24 horas depois de assinar uma rescisão amigável com o Atlético. Devo dizer que ri bastante, mas só até saber que o péssimo empresário do Fred havia feito seu cliente assinar um contrato com uma cláusula idiota de que ele não poderia jogar no Cruzeiro, a não ser que pagasse dez milhões de reais para o Atlético. E esse empresário aparentemente havia convencido o Cruzeiro a pagar esse valor. Dez milhões de reais. Para um jogador de 34 anos. E o pior é que a diretoria do Cruzeiro foi lá e confirmou que não via problemas em pagar essa “dívida” caso o departamento financeiro dissesse que a cláusula idiota era válida. Eu já não achava que apostar em medalhões em fim de carreira DE GRAÇA era uma boa ideia, ainda mais sabendo do salário alto do Fred e vendo o Atlético Mineiro não conquistar nada com essa tática no ano passado. Aí os caras me inventam de querer pagar dez milhões de reais para o maior rival que já havia rescindido o contrato com o jogador. Fui do riso ao choro em poucos dias. Mas ainda não sei o que vai acontecer nessa história, já que ninguém mais falou nada sobre essa multa desde o final do ano passado. Tomara que o Cruzeiro tenha dito que pagaria só pra deixar Fred e empresário tranquilos e na verdade não tenha intenção nenhuma de pagar uma multa ridícula dessas. Senão vai ser um negócio horroroso. Dar ao rival dez milhões de reais por um jogador em fim de carreira que havia sido liberado de graça. É uma falta de tato muito grande ao tratar uma rivalidade dessas. Eu já acho ruim contratar um jogador que jogou no rival, imagina contratar um jogador recém saído do rival, e pior ainda, pagando um valor alto para eles. Valor que pode ajudar o time a contratar bons jogadores e pagar dívidas. É imperdoável.

E como existe a belíssima regra de 3 da comédia, em que primeiro você estabelece, depois reforça e finalmente subverte, o Cruzeiro decidiu subverter tudo com a contratação do jogador Bruno Silva. Foi uma contratação tão demorada, confusa e sem sentido que só podemos ver como um quadro bem elaborado de comédia. Ainda estou esperando o Didi aparecer no final com um extintor de incêndio.

Primeiro a gente ficou falando que ia contratar o rapaz desde o final do brasileiro do ano passado. Aí o próprio jogador estava meio brigado com a torcida do Botafogo e falou que eles podiam ficar tranquilos que ele estava indo embora. Depois ele fez umas declarações malucas de que era torcedor do Cruzeiro, falando que ia atropelar o Atlético. Mas logo depois ele disse que era tudo brincadeira e que ainda era jogador do Botafogo. Depois a Ponte Preta entrou na jogada e a gente descobriu que ele não só era da Ponte Preta como ele era caro. E o Cruzeiro tentou emprestar jogadores para eles pelo Bruno Silva, depois disse que não tentou emprestar jogadores para eles, e depois a Ponte Preta disse que o Cruzeiro tentou mesmo emprestar jogadores para eles e não quiseram nenhum, e no final das contas o Cruzeiro pagou 4 milhões de reais para o Botafogo, emprestou um jogador que nem pagou ainda e precisa devolver para o time original ao Botafogo, e mais um milhão de reais para a Ponte Preta por um jogador de 31 anos que começou a se destacar pelo Botafogo no ano passado e nunca jogou por outro time grande ou ganhou títulos na carreira. E no meio disso tudo ainda surgiu uma denúncia de que Itair Machado é ligado a Bruno Silva e estava contratando o jogador para pagar uma dívida própria. É uma maluquice sem tamanho.

Para complementar isso tudo, o Cruzeiro está devendo 50 milhões de reais a vários times em ações na FIFA e estava com três meses de salários atrasados (parece que começaram a pagar). Por isso, acho que faz um pouco de sentido ter um olhar crítico sobre o que essa diretoria está fazendo, e o que vai ficar de legado para as próximas diretorias e o Cruzeiro como um todo. A ESPN não está de todo incorreta. O problema é quando eles exageram (principalmente o Mauro Cezar), sem ter muito conhecimento do que acontece por aqui. Porque apesar de estar contratando muito e contratando jogadores caros, o Cruzeiro está se livrando bem de jogadores “inúteis” que ainda tinham vínculo com o clube. Fazendo um levantamento “porco” no twitter com um pessoal, chegamos à conclusão de que os salários dos jogadores que estão chegando meio que se equiparam aos salários que estamos deixando de pagar a jogadores parados que estão sendo negociados. Mas uma coisa que eles estão dizendo e faz todo o sentido é que precisamos ficar de olho nessas negociações em que empresas nos “ajudam” agora e ficam com porcentagens de jogadores. Isso é ilegal, dizem que não estão fazendo, mas sabemos que acontecem o tempo todo. E toda vez que a gente reclama que tal jogador está fatiado, que o Cruzeiro só tem 10, 20 ou 30% (lembram do caso Lucas Silva?), que não conseguimos nada de uma grande venda, temos que lembrar desses “acordos” com BMG ou empresas do tipo.

A moral da história é: o time está contratando bem, está montando um bom elenco, está se livrando de jogadores caros e inúteis, mas mesmo assim tem muita coisa mal feita e errada por aí. As duas coisas podem e estão andando em conjunto. Não podemos fechar os olhos para os problemas por conta de boas contratações, nem achar ruim o time se reforçar e ter grandes ambições por estar com problemas financeiros (se esse fosse o caso nenhum time brasileiro contrataria mais).

Então é isso, acho que esse texto tem muito mais palavras do que é aceitável para um texto em PLENO 2018. Até a próxima.

Não me siga

Michael Renzetti

Não sei nada sobre táticas, sobre jogadores, sobre times - bom, na verdade eu acho que não sei nada sobre futebol. Mas eu gosto de opinar.
Não me siga

Published in Corneta Crônicas Especulação

  • Luís Filipe

    Oi tudo bem?

  • Santos

    Quem sabe seu texto, tirando todo o primeiro parágrafo, abra os olhos dos torcedores de dirigentes.

    • Vamos parar com isso de tirar o primeiro parágrafo pois é o meu favorito!!!

  • Wellington Duarte

    Mauro Cezar não curtiu.